Roteiro de 1 dia no Parque Natural do Alvão, cuidado com as vertigens!

Parque Natural do Alvão

Para o penúltimo dia do nosso roteiro no norte de Portugal, fomos visitar o Parque Natural do Alvão com o meu tio a sua esposa e a minha prima. Este dia começou muito mal, depois de quase três semanas de viagem o meu corpo abandonou-me.

Conduzir vários quilómetros por dia e dormir 6 horas em média, só se podia esperar este resultado. Tive uma noite desastrosa, tinha uma dor muito forte no estômago, doía-me a cabeça, transpirava por todos os lados

Por volta das cinco da manhã, finalmente consegui fechar os olhos, mas às 8h o alarme já estava a tocar para ir buscar o meu tio. Alterei o alarme para as 8h30, para as 9h, 09h30 e às 10h00, o meu tio liga-me para saber onde estava, jà estava à minha espera à cerca de uma hora.

Expliquei-lhe o que tinha acontecido e imediatamente ele disse-me anulamos o que tínhamos previsto, tens que descansar”. Durante 30 segundos fiquei a pensar “vou ou não vou ? Amanhã é o fim deste roteiro maravilhoso, não posso desistir agora, quero descobrir o Parque Natural do Alvão e não quero dececionar o meu tio que já está pronto . Liguei para o meu tio e disse-lhe: “Daqui a 20 minutos estou ai.Por volta das 11h là fomos nós para 150 km até chegar ao Parque Natural do Alvão.

Lamas de Olo

Parque Natural do Alvão - Lamas de Olo
Lamas de Olo

Começamos o nosso passeio no parque pela aldeia de Lamas de Olo localizada a mil metros de altitude. Esta pequena aldeia mantém uma atmosfera de paz e simplicidade, com as suas casas tradicionais de granito e com telhados de colmo.

No caminho para as Fisgas de Ermelo, um lugar único no parque, encontramos vacas, uma lagoa e pela primeira vez vi uma maneira fácil de recuperar a resina dos pinheiros.

Quando chegamos às Fisgas do Ermelo pudemos ver a bela paisagem do Parque Natural do Alvão e ao mesmo tempo ter alguns sustos. Querendo tirar lindas fotos da maior cascata de Portugal, aproximei-me muito perto da borda das falésias, não sei se foi devido ao cansaço, mas pela primeira vez na minha vida tive vertigens.

Como um idiota em vez de olhar em frente, quis ver se estava a muitos metros de altura, quando olhei para baixo as minhas pernas começaram a tremer e de repente tudo à minha volta começou a girar. Felizmente o meu corpo deu um passo para trás e ao olhar para os meus pés consegui voltar a um estado normal.

Quando visitar as Fisgas do Ermelo não faça a mesma asneira que eu, se quiser tirar fotos bonitas, tire, mas de longe!

Continuamos a visita pela pequena aldeia do Ermelo e foi onde terminamos a nossa visita ao Parque Natural do Alvão. Se desejar dormir à volta do Parque Natural do Alvão, aconselho que fique na Casa Agrícola da Levada (link afiliado) situada a 10 km do parque em Vila Real.

Antes de regressar a Braga, fizemos um pequeno piquenique ao lado da aldeia no parque de Merendas, palavra usada no norte de Portugal para dizer lanchar.

Parque Natural do Alvão - Ermelo
Mapa do parque

Depois de um começo difícil, fiquei contente de ter visitado o ultimo parque que faltava descobrir no norte de Portugal. Como pode ver o norte de Portugal tem varias cidades,vilas, aldeias que devem ser visitadas, como Porto, Braga, Guimarães, Ponte de Lima, Lamego e 4 belos parques, como o Parque National da Peneda-Gerês, o Parque Natural de Montesinho, o Parque Natural do Douro Internacional e o Parque Natural do Alvão.

Vai visitar o Parque Natural do Alvão? Não hesite em reservar o seu hotel ou o seu carro passando pelos links aqui em baixo. Vai-me permitir continuar a oferecer-lhe gratuitamente dicas e guias para visitar Portugal. Obrigado!

Reserve aqui o seu Hotel  Reserve aqui o seu carro

 

Também lhe vai interessar :

  • parque de merendas do alvão
  • parque nacional de alvao
  • parque natural alvao
  • parque naturaldo alvão aldeias
  • parque natural do alvao tudo sobre ele

Sobre Tiago

Tiago 28 anos de idade, parisiense desde os 12 anos, decidi partir para a aventura e realizar o meu sonho : conhecer o nosso país de uma ponta à outra. Acho que se não conhecemos as nossas origens não nos podemos conhecer realmente. Leia mais aqui