Era uma vez um pequeno cantinho no sul da Europa com 92 090 km² ao qual deram o nome de Portugal (1139 d.C). D. Afonso Henriques foi o fundador do reino e o seu primeiro rei.

Nos séculos XV e XVI, durante a era dos descobrimentos, os portugueses realizaram viagens e explorações marítimas à procura de novas rotas comerciais.

O reino de Portugal colonizou territórios em África, Ásia e América do Sul, tornando-se a potência económica, política e cultural mais importante do mundo. Os descobrimentos portugueses deram um contributo essencial para delinear o mapa do mundo e o Império Português foi o primeiro império global da história e o mais duradouro dos impérios coloniais europeus modernos.

O português é uma das línguas mais faladas no mundo, sendo a língua oficial nas antigas colónias portuguesas: Brasil, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Além disso, falantes do português são também encontrados em Macau (China) e em Goa (Índia).

Portugal é um país onde o sol brilha 300 dias por ano, um país com uma história fantástica, uma cultura extraordinária, uma comida deliciosa, magníficas paisagens, praias sensacionais, montanhas que nos fazem sentir pequeninos e um povo acolhedor que o fará sentir em sua casa.

Apesar de ser um país pequeno (em tamanho), ao visitar Portugal, não terá tempo para se entediar, pois as riquezas são muitas (monumentos, paisagens, praias, cultura, gastronomia).

Portugal é também um dos poucos países no mundo que, uma vez visitado, nunca mais é esquecido. Este país desperta em nós um sentimento muito próprio, o da Saudade, quando estamos longe deste maravilhoso paraíso.

Neste artigo, mostrarei os 100 lugares mais bonitos para visitar em Portugal e um roteiro para que possa descobrir facilmente essas maravilhas.

Informação: os locais abaixo referem-se apenas a Portugal continental. Para descobrir as maravilhas das ilhas portuguesas, convido-o a ler o artigo com os melhores lugares para visitar nos Açores e os melhores lugares para visitar na Madeira.

Eis os 100 locais a visitar em Portugal:

1. Santuário de Santa Luzia

Santuario de Santa Luzia - Viana do Castelo

O Templo do Sagrado Coração de Jesus (também conhecido como Santuário de Santa Luzia), construído no extremo oeste do Monte de Santa Luzia, em Viana do Castelo, é sem dúvida um dos monumentos mais famosos e emblemáticos do país.

Este templo é um excelente exemplo da arquitetura neo-românica e neogótica. A construção do santuário no topo do Monte de Santa Luzia começou em 1904 e foi concluída em 1959, devido à iniciativa da Irmandade de Santa Luzia.

Para chegar ao Santuário de Santa Luzia, pode optar pelo carro, subir os muitos degraus ou usar o elevador de Santa Luzia, que pode transportar até 24 pessoas. A viagem é de 650 metros, com uma inclinação de 160 metros e uma duração total de seis a sete minutos.

Para mais detalhes sobre o santuário e a cidade onde se encontra, convido-o a ler o artigo Top 20 dos sítios a visitar em Viana do Castelo.

2. Apúlia

Localizada na área de Paisagem Protegida do Litoral de Esposende (a 35 km de Viana do Castelo), a pequena vila da Apúlia é um local muito agradável devido à sua beleza natural e autenticidade.

Além de poder desfrutar de alguns momentos relaxantes na grande praia, aproveite a oportunidade para admirar os pescadores e os seus barcos e não hesite em fazer uma curta caminhada nos passadiços de madeira para admirar os moinhos de vento nas dunas.

3. Porto

Porto Ponte Dom Luis - Ribeira

Porto é a cidade que deu nome a Portugal (Portucale) e ao famoso vinho português com o mesmo nome. Mas a cidade não é apenas isso, e não é de admirar que tenha sido escolhida em 2012, 2014, 2017 o melhor destino turístico europeu.

Ao visitar o Porto, descobrirá uma cidade cheia de charme, onde o antigo combina perfeitamente com o moderno, uma cidade que é cosmopolita e íntima ao mesmo tempo.

O Porto é uma fonte de inspiração, onde quem visita acaba sempre por voltar!

Aqui estão os locais a não perder durante a sua visita ao Porto:

  • Torre dos Clérigos
  • Sé Catedral do Porto
  • Estação de São Bento
  • Palácio da Bolsa
  • Igreja de São Francisco
  • Ponte Luis I
  • Mosteiro da Serra do Pilar
  • Caves de vinho do Porto
  • Mercado do Bolhão
  • Rua de Santa Catarina
  • Muralha Fernandina
  • Igreja de Santa Clara
  • Bairro da Ribeira
  • Livraria Lello

Além desses lugares maravilhosos, há muito mais para visitar! Leia este artigo para um roteiro detalhado da cidade do Porto.

4. Praia do Senhor da Pedra

A praia do Senhor da Pedra tem como principal atração a capela do Senhor da Pedra, do século XVIII, erguida sobre algumas rochas à beira-mar. Em dias em que o mar está mais agitado, a praia é o local ideal para a prática de desportos náuticos como o surf e o bodyboard.

5. Castelo de Santa Maria da Feira

© pixabay.com – joseribeiro

Construído antes do século XI, o Castelo de Santa Maria da Feira é mais antigo que a nação portuguesa. Segundo a história, foi aqui que foi preparada a batalha de São Mamede (Guimarães), batalha que pôs frente a frente o futuro primeiro rei português D. Afonso Henriques e a sua mãe Teresa de Leão, que estava no lugar da atual Espanha.

Durante a sua visita, caminhe pelas muralhas, admire a bela torre de menagem com 4 torres e a capela em homenagem a Nossa Senhora da Encarnação.

6. Ovar

Conhecido em Portugal pelo seu delicioso Pão de Ló (semelhante ao pão de ló inglês, ou mesmo ao bolo francês de Sabóia), o município de Ovar esconde outras maravilhas que o convido a descobrir durante a sua visita a Portugal.

No norte do município fica a Barrinha de Esmoriz, uma lagoa onde pode admirar a bela flora e fauna ao caminhar pelos passadiços de madeira de 8 km, criados para permitir que as pessoas possam explorar essa maravilha natural.

© wikimedia.org – Pedro

Voltando à cidade de Ovar, encontrará muitas praias. As mais famosas são: Praia de Esmoriz, Praia de Cortegaça, Praia do Furadouro e no sul da cidade, encontrará a Ria de Aveiro (lagoa de 45 km).

Além dessas maravilhas naturais, este município esconde dois tesouros construídos por mãos humanas, a sumptuosa Igreja Matriz de Santa Maria de Válega e a Igreja Matriz de Santa Marinha de Cortegaça.

7. Aveiro

Conhecida como a Veneza portuguesa, Aveiro tem mil anos de história, dos quais duzentos e cinquenta como cidade. Foi fundada devido à produção de sal e ao comércio marítimo.

No final do século XVI, a instabilidade da comunicação vital entre a Ria e o mar levou ao encerramento do canal, impedindo o uso do porto e criando condições insalubres, causadas pela estagnação da água da ria.

No início do século XIX, o canal foi finalmente reaberto (Barra), começando aí um período de grande desenvolvimento.

Aveiro tem alguns lugares incríveis que farão os seus olhos brilharem e da sua visita a esta cidade realmente valer a pena.

Durante a sua visita à cidade, não hesite em fazer um pequeno desvio para descobrir a praia da Costa Nova e as suas belas casas de pescadores pintadas com riscas verticais e horizontais e em cores diferentes, o que traz um charme especial a este local.

Leia o meu artigo e descubra o top 10 dos sítios a visitar em Aveiro.

8. Umbrella Sky Project

Águeda

Presente em Águeda, de 1 de julho a 30 de setembro desde 2012, o Projeto Umbrella Sky é um projeto criado pela agência Sexta Feira que visa trazer cor e alegria à cidade.

Além dos lindos guarda-chuvas pendurados nas ruas do centro histórico (Rua Luís de Camões, bem como nas ruas adjacentes), os bancos, postes e fachadas são cobertos com belas obras de arte urbana.

Este projeto é um sucesso tão grande que a agência Sexta Feira foi convidada a reproduzi-lo um pouco por todo o mundo.

Se vier a Águeda no inverno, saiba que em dezembro, a cidade fica iluminada com as cores do Natal com os seus guarda-chuvas!

9. Pateira de Fermentelos

Pateira de Fermentelos - Agueda

A lagoa Pateira de Fermentelos começou a formar-se no século XV, após as numerosas inundações dos rios Certoma e Águeda, que se espalharam pelos campos vizinhos.

Atualmente, é o maior lago natural da Península Ibérica, com cerca de 5 km2.

Antes de visitar este local, fiz algumas pesquisas e vi algumas fotos na internet. À primeira vista, era um lugar bonito, mas nada de especial.

Assim que o visitei e depois de alguns segundos a admirar a lagoa da Pateira de Fermentelos, fiquei sem palavras com a beleza natural deste lugar!

Grande parte do lago havia desaparecido sob um enorme tapete de flores roxas, dando a este lugar uma vista deslumbrante.

Não me lembro de ter visto outro lugar tão romântico como este. Tornou-se um dos meus lugares favoritos em todo o país!

Não hesite em passear pelas margens da lagoa até aos coretos para contemplar esta maravilha.

Para mais informações sobre a Pateira de Fermentelos e o Umbrella Sky Project, leia o artigo O que visitar em Águeda, a cidade dos guarda-chuvas coloridos.

10. Mata Nacional do Buçaco

© wikimedia.org – Duca696

A Mata Nacional do Buçaco é um local protegido, localizado na serra com o mesmo nome e perto da vila termal de Luso.

Esta floresta foi plantada pela Ordem dos Carmelitas em 1644 e hoje possui uma área de 400 hectares. No local, encontrará o Convento de Santa Cruz do Buçaco, que abrigou os membros desta Ordem de 1628 a 1834, quando as ordens religiosas foram dissolvidas.

Em 1888, foi iniciada a construção do Palácio Real (que destruiu parte do convento), um sumptuoso monumento que hoje abriga o hotel de 5 estrelas Palace Hotel do Bussaco (link afiliado).

© wikimedia.org – Vitor Oliveira

Além de visitar este magnífico monumento, convido-o a perder-se nos jardins e no parque que o rodeia, onde há muitas eremitérios e capelas que datam da época da Ordem dos Carmelitas. Termine a sua visita no miradouro da Cruz Alta para admirar essa maravilha ao pôr do sol!

11. Figueira da Foz

Figueira da Foz

Muito conhecida em Portugal pelas suas magníficas praias, a Figueira da Foz irá surpreendê-lo com as suas maravilhas ainda pouco conhecidas, como o sumptuoso Palácio de Sotto Mayor.

A Figueira da Foz começou a ser povoada no século XI pelo Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra e cresceu pouco a pouco ao longo dos séculos. Tornou-se uma vila em 1771. No século XIX, a Figueira da Foz duplicou a sua população graças, em grande parte, ao porto e à construção naval, bem como à chegada de muitos turistas para apreciar as magníficas praias.

Para acomodar tantas pessoas, surgiu um novo bairro (Bairro Novo) de frente para o mar, inspirado nos balneários franceses de Arcachon e Biarritz. É nesta área que se encontra o casino e a maioria dos hotéis, restaurantes e bares.

Em 1882, a Figueira da Foz passou do estatuto de vila para o de cidade e hoje abriga mais de 62 000 habitantes (centro da cidade e aldeias vizinhas).

Pode visitar esta cidade apenas para desfrutar da sua bela praia, mas ao conhecer as pérolas que a Figueira da Foz esconde, descobrirá uma cidade que o surpreenderá com a sua autenticidade e beleza.

Aqui estão os lugares que não deve perder:

  • Palácio de Sotto Mayor
  • Freguesia de Buarcos
  • Miradouro da Bandeira, localizado na Serra da Boa Viagem
  • Costa de Lavos

Para descobrir as maravilhas desta cidade em detalhe, leia o artigo Top dos sítios a visitar na Figueira da Foz.

12. Coimbra

Conhecida em Portugal como a cidade dos estudantes, Coimbra tem uma história incrível e monumentos que definitivamente não deve perder quando visitar Portugal!

Um desses monumentos é a Universidade de Coimbra Alta & Sofia, classificada como Património da Humanidade pela UNESCO. Fundada em Lisboa em 1290, foi permanentemente transferida para Coimbra em 1537 e hoje é considerada uma das universidades mais antigas da Europa.

Um dos pontos de interesse que não deve perder ao visitar a Universidade de Coimbra é sem dúvida a Biblioteca Joanina, considerada uma das bibliotecas mais bonitas do mundo.

Para descobrir os outros lugares bonitos da cidade, convido-o a ler o artigo Top 10 dos sítios a visitar em Coimbra.

Aproveite a sua visita a Coimbra para descobrir a cidade romana antiga mais bem preservada de Portugal. Conímbriga está localizada a 16 km de Coimbra e oferece a possibilidade de ver como era uma cidade romana há 2000 anos!

Como curiosidade, saiba que Coimbra adotou o nome atual, após o abandono da cidade de Conímbriga pelos seus habitantes, que partiram para se refugiar dos ataques dos Suevos (povo germânico) no século V.

13. Aldeias de Xisto

© wikimedia.org – Vitor Oliveira

As aldeias de xisto estão localizadas principalmente nas serras da Lousã e Açor, serras próximas das cidades de Coimbra e Castelo Branco.

Estas aldeias foram construídas com materiais locais (xisto) que lhes conferem um caráter muito especial. Além de poder admirar as belas casas e as ruas, encontrará inúmeros percursos pedestres, trilhos para BTT e praias fluviais.

Das 27 aldeias pertencentes à rede de aldeias de xisto, convido-o a descobrir, sobretudo, Talasnal, Casal de São Simão, Cerdeira, Chiqueiro, Candal, Aigra Nova, Álvaro, Pena e Sobral de São Miguel.

Para mais informações e fotos de cada vila, visite o site oficial desta rede aqui.

14. Buracas do Casmilo

© unsplash.com – Bruno Alves

Localizada a 24 km de Coimbra, a Buracas do Casmilo é uma formação geológica que corresponde ao que resta de várias salas de uma enorme caverna que desabou.

Este lugar é muito fotogénico e vale a pena fazer um desvio quando visitar Coimbra. Para chegar lá, deixe o seu carro na aldeia de Casmilo e caminhe 1,5 km numa estrada de terra. Aproveite a oportunidade para apreciar a paisagem e tirar lindas fotos.

15. Penedo Furado

© wikimedia.org – Vitor Oliveira

Localizado no município de Vila de Rei, muito perto da estrada N2 (a maior estrada de Portugal com 739 km – vou falar um pouco sobre isso mais abaixo), Penedo Furado é um lugar onde pode admirar colinas cobertas de pinhais, a ribeira de Codes, a albufeira da barragem de Castelo do Bode, graças aos miradouros do Penedo Furado, Fragas de Rabadão e Cristo Rei.

Além de poder admirar essas belas paisagens, encontrará no local uma praia fluvial muito popular entre os que a visitam e uma cascata acessível por passadiços de madeira a mais de 500 metros.

16. Castelo de Almourol

Localizado numa pequena ilha no rio Tejo, este castelo foi construído no século XII e pertencia à Ordem dos Templários e de Cristo. Sem dúvida um dos castelos mais bonitos de Portugal!

Para visitar o Castelo de Almourol, deverá embarcar num pequeno barco localizado na margem esquerda do rio, no município da Praia do Ribatejo. Para tirar lindas fotos, convido-o a ir ao miradouro de Almourol, localizado na margem direita do Tejo.

17. Museu Nacional Ferroviário

© wikimedia.org – _morgado – DSC_3206

O Museu Ferroviário Nacional apresenta aos visitantes 160 anos de história ferroviária em Portugal. Aqui, encontrará mais de 36 000 objetos grandes e pequenos, como locomotivas e vagões do comboio presidencial usados ​​por mais de um século pelos presidentes, chefes de estado, reis e papas!

18. Convento de Cristo

Convento de Cristo - tomar

Classificado como Património da Humanidade pela UNESCO em 1983, o Convento de Cristo é hoje um dos mais belos monumentos portugueses. Beneficiou da influência de vários estilos arquitetónicos, ao longo de vários séculos, incluindo os estilos românico, gótico, manuelino e renascentista.

A pessoa responsável pela construção do Convento de Cristo e do castelo que o rodeia foi o Grão-Mestre da Ordem dos Templários, Gualdim Pais, no século XII. Esta herança foi posteriormente entregue à Ordem de Cristo antes de se tornar propriedade do estado português.

O monumento oferece aos seus visitantes vários pontos de interesse, como o castelo, os claustros góticos e renascentistas, a charola e a igreja manuelina.

Para mais informações acerca deste monumento e outros locais a visitar em Tomar, leia o artigo Visite Tomar e descubra a magnífica cidade dos Templários!

19. Santuário de Fátima

Basilica de Nossa Senhora do Rosario - Fatima portugal

Localizada no centro de Portugal, a pequena cidade de Fátima (11 596 habitantes) tornou-se, ao longo dos anos, o quarto maior local de peregrinação católica no mundo, após a aparição da Virgem Maria em 1917 a três pastorinhos.

Em 13 de maio de 1917, Lúcia e os seus primos Jacinta e Francisco, de 12, 9 e 7 anos, cuidavam das suas ovelhas na Cova da Iria, Fátima, quando viram uma luz brilhante aparecer à frente deles.

A princípio, eles julgaram ser um relâmpago, mas depois uma luz mais forte iluminou o local. Foi então que viram numa pequena árvore (azinheira) uma senhora mais brilhante que o sol.

Esta senhora pediu que viessem à Cova da Iria no dia 13 de cada mês, à mesma hora, durante 6 meses. Ela prometeu-lhes revelar a sua identidade, bem como o propósito da sua vinda.

Ao longo das aparições, essa senhora fez algumas revelações, como o fim da Primeira Guerra Mundial, que Francisco e Jacinta logo iriam para o céu (Francisco morreu em 1919 e Jacinta em 1920, devido à gripe espanhola).

À medida que os meses passavam, a multidão ficava cada vez maior. Durante a segunda aparição, 50 pessoas estavam presentes; em 13 de outubro, durante a sexta aparição, havia mais de 50 000 pessoas para testemunhar o milagre prometido por essa senhora.

Foi nessa ocasião que os pastorinhos descobriram que essa senhora era a Nossa Senhora do Rosário.

Como ninguém viu a Nossa Senhora do Rosário (exceto os pastorinhos), em 13 de outubro de 1917 ocorreu um milagre para que a multidão pudesse ver e acreditar na aparição da Virgem Maria.

Este dia estava muito chuvoso, quando de repente as nuvens desapareceram para dar lugar a um sol radiante com um céu azul.

Ocorre então no céu um fenómeno luminoso chamado daqui em diante “o milagre do sol” ou “dança do sol”. Não hesite em clicar no link acima para conhecer ao pormenor o “milagre do sol”.

Para descobrir os lugares a visitar em Fátima e arredores, convido-o a ler o artigo O que visitar em Fátima, o quarto maior local de peregrinação católica no mundo!

20. Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros

grutas de mira de aire

O Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, com uma área de aproximadamente 35 000 hectares, foi criado em 1979, cobrindo mais de dois terços do maciço calcário da Estremadura, que é a área calcária mais importante em Portugal.

O parque é composto por duas serras, que lhe dão o nome, e os planaltos de Santo António e São Mamede.

Ao passear pelo parque, verá vários muros pequenos de pedra, chamados “chouços”, que são usados ​​para dividir propriedades ou para juntar rebanhos. Pode também encontrar pequenas casas no meio dos campos, que antes eram usadas para proteger os pastores dos elementos.

Além das belas paisagens autênticas, pode descobrir no subsolo algumas das 1500 cavernas incríveis do parque.

Aqui estão os lugares que não pode perder no parque:

  • Salinas de Rio Maior
  • Castelo de Porto de Mós
  • Grutas de Mira de Aire

Para conhecer melhor este parque, convido-o a ler o artigo Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros: os 9 sítios a não perder!

21. Mosteiro da Batalha

Mosteiro da batalha

O Mosteiro da Batalha é uma das mais bonitas obras da arquitetura portuguesa e europeia e Património da Humanidade. Após a vitória contra o Reino de Castela (região da atual Espanha) em Aljubarrota em 1385, o rei Dom João I decidiu construir este mosteiro para agradecer à Virgem Maria por ter vencido a batalha.

A construção começou em 1386 e foi concluída 2 séculos depois, em 1517. O mosteiro foi doado à ordem dos dominicanos que permaneceram lá até 1834, ano da extinção das ordens religiosas em Portugal.

Desde essa data, este magnífico monumento pertence ao estado português, que decidiu abri-lo ao público.

22. Castelo de Leiria

© wikimedia.org – Christiane Abele

Construído no século XII para proteger as terras recuperadas dos mouros, o Castelo de Leiria é sem dúvida um dos mais belos castelos medievais de Portugal!

Após numerosos ataques ao longo dos séculos, o último dos quais foi realizado no século XIX pelas tropas de Napoleão, o castelo caiu em ruínas e foi abandonado por mais de 100 anos.

A partir de 1915, as ruínas foram reconstruídas e hoje pode visitar a torre de menagem, a Igreja de Santa Maria da Pena, o Palácio Real e caminhar pelas muralhas que oferecem uma vista de 360º da cidade.

Depois da sua visita ao castelo, aproveite para se perder nas ruas do centro histórico de Leiria e descubra os seus belos monumentos, como a sé catedral.

23. Mosteiro de Alcobaça

Após a captura da cidade de Santarém aos mouros, o rei Dom Afonso Henriques prometeu à Ordem de Cister construir o Mosteiro de Alcobaça para lhes agradecer pelo apoio.

A construção do mosteiro começou em 1178, seguindo o modelo da Abadia de Clairvaux, a casa-mãe da Ordem de Cister em França, e foi concluída em 1252, ano de sua inauguração pelo rei D. Dinis.

Em 1810, as tropas de Napoleão roubaram grande parte da riqueza do mosteiro e o que restou foi roubado em 1834, quando as ordens religiosas em Portugal desapareceram.

Conheça, durante a sua visita, o dormitório, a casa capitular, o refeitório, o claustro de Dom Dinis, a incrível cozinha, o Salão dos Reis e a igreja (parte livre).

24. Nazaré

A bela Nazaré é uma cidade diferente de qualquer outra no centro de Portugal! Desde tradições que perduram há muitos anos e que estão intrinsecamente ligadas à atividade pesqueira, às ondas gigantes que fizeram desta cidade um ponto turístico tão grande, existem muitas razões pelas quais deve visitar este lugar.

Embora considerado um município desde o século XVI, só no século XX é que o nome atual foi adquirido. Até então, o município tinha o nome de Pederneira, atualmente um bairro da Nazaré. Aí, ainda podem ser encontrados vestígios da época medieval.

De facto, Nazaré é dividida em três áreas distintas: a parte baixa, à beira-mar, a Pederneira, a parte interna da cidade e o Sítio, localizado no promontório da Nazaré.

Embora Nazaré deva muito à atividade pesqueira, esta cidade desenvolveu-se principalmente a partir do século XX e, especialmente, no século XXI, graças ao turismo e às suas belas e agradáveis ​​praias. Além disso, a cidade ficou mundialmente famosa após Garrett McNamara ter batido o recorde de maior onda já surfada em 2011. Esse recorde foi batido em 61 centímetros em 2017 pelo brasileiro Rodrigo Koxa, fixando o recorde em 24,38 m.

Para descobrir esta cidade e os seus arredores, convido-o a ler o artigo Top 20 dos sítios a visitar na Nazaré e seus arredores.

25. Peniche

Fortaleza de Peniche

Considerada a cidade mais ocidental do continente europeu, Peniche é um dos lugares a conhecer durante a sua visita a Portugal.

Esta localidade está situada numa península com um pequeno pedaço de terra que a liga ao continente, tornando-a única a nível nacional.

Embora tenha sido recentemente elevada à categoria de cidade (em 1988), Peniche sempre teve particular importância a nível nacional, especialmente a nível marítimo e de pesca. O porto de Peniche continua a ser um dos mais importantes portos de pesca portugueses.

Um dos lugares que não deve perder durante a sua visita é a fortaleza da cidade, que data do século XVI. Situada no topo de falésias, essa fortaleza foi considerada pelo rei D. João IV como a “principal chave do reino à beira-mar” devido à sua localização, um dos pontos mais a oeste de Portugal.

A Fortaleza de Peniche foi a principal fortificação do conjunto defensivo chamado Praça-Forte de Peniche, que foi classificado como monumento português em 1938 devido à sua importância histórica.

Além das funções defensivas que cumpriu até ao final do século XIX, essa fortaleza cumpriu várias funções, algumas das quais são mais dignas do que outras.

A fortaleza serviu como prisão política durante a ditadura do Estado Novo (uma ditadura que só terminou em 1974, após a Revolução dos Cravos). Hospedou temporariamente famílias portuguesas que vieram das antigas colónias africanas. Desde 1984, abriga o Museu Municipal de Peniche.

Para descobrir todos os lugares a visitar em Peniche, leia o artigo O que visitar em Peniche – do paraíso das Berlengas às fantásticas praias.

26. Arquipélago das Berlengas

Berlengas-Forte Sao Joao Baptista

Considerada desde 2011 como Reserva Mundial da Biosfera pela UNESCO, a Reserva Natural das Berlengas foi a primeira área protegida em Portugal, decretada pelo rei Afonso V, que proibiu a prática de caça na maior ilha deste arquipélago, a Berlenga Grande (1,5 km de comprimento e 800 m de largura).

A ocupação humana desta ilha começou há vários séculos com a passagem de navegadores vikings e muçulmanos, além de corsários franceses e ingleses.

No início do século XVI, a rainha D. Leonor pediu a alguns monges da Ordem de São Jerónimo que se instalassem nesta ilha a fim de facilitar a navegação e ajudar as vítimas dos frequentes naufrágios ocorridos ali.

Apesar das boas intenções, a verdade é que os monges não ficaram muito tempo devido aos constantes ataques dos corsários e às condições desfavoráveis ​​da ilha.

Durante a sua visita, poderá desfrutar da bela praia por algumas horas, passear pelo Bairro dos Pescadores, admirar o farol do Duque de Bragança e entrar no lugar mais fotogénico da Berlenga Grande, o Forte de São João Batista das Berlengas.

No artigo sobre a cidade de Peniche, encontrará todas as informações sobre este arquipélago, bem como as informações necessárias para lá chegar.

27. Óbidos

Obidos

A bela vila de Óbidos é muito turística, mas definitivamente merece uma visita. Foi conquistada aos mouros pelo primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques.

Um dos lugares mais interessantes de Óbidos é sem dúvida as muralhas e o castelo que protegem a cidadela.

Aproveite a sua visita para explorar a cidadela, admirar o castelo, caminhar pelas muralhas, os becos com as suas belas casas e viaje no tempo imaginando ser um morador desta vila em plena época medieval, uma experiência única!

Não deixe Óbidos sem descobrir a famosa ginjinha de Óbidos, um licor muito popular nesta região e em todo o país.

Fora da cidadela, admire o belo Aqueduto de Usseira, que originalmente tinha 3 km de extensão, e também o Santuário do Senhor da Pedra.

28. Santarém

Catedral Santarém

Com vários séculos de história, Santarém é uma cidade que foi ocupada por vários povos. A cidade foi povoada por fenícios, gregos, cartagineses e mouros até 1147, quando a cidade foi conquistada pelos portugueses, liderada por seu primeiro rei, Dom Afonso Henriques.

Outrora conhecida como a capital do gótico em Portugal, no centro histórico de Santarém, encontrará vários estilos arquitetónicos de riqueza única que fazem desta cidade um lugar a não perder.

Atualmente, Santarém não tem a importância que teve há alguns séculos, mas a sua herança é imensa e, nesse sentido, convido-o a descobrir esta cidade durante a sua visita a Portugal.

Para conhecer as maravilhas a descobrir nesta bela cidade, leia o artigo O que visitar em Santarém, capital do gótico em Portugal.

29. Mafra

© wikimedia.org – Alvesgaspar

Localizado a apenas 39 km de Lisboa, o município de Mafra possui muitos tesouros que merecem ser visitados durante a sua estadia em Portugal.

O mais importante é o Palácio Nacional de Mafra, classificado em 2019 como Património da Humanidade pela UNESCO (palácio, basílica, convento, jardim do Cerco e parque de caça, mais conhecido como Tapada Nacional de Mafra).

O palácio é uma antiga residência real construída durante o reinado de D. João V, em 1717, seguindo uma promessa feita pelo rei. O edifício ocupa uma área de aproximadamente 4 hectares, com 1200 quartos, 4700 portas e janelas.

Durante a sua visita, descubra, além do palácio, a basílica, o convento, uma das bibliotecas mais bonitas da Europa e o jardim do Cerco, localizado na parte de trás desta maravilha.

Outro local a ser descoberto no município de Mafra é a Tapada Nacional (entrada localizada a 7 km do centro da vila), uma floresta de 833 hectares protegida por um muro de 21 km, criada em 1747 pelo rei D. João V após a construção do convento e palácio. A floresta foi usada como um parque de lazer e de caça pelos monarcas portugueses.

© wikimedia.org – Joana Sequeira

Aquando da sua visita à Tapada Nacional de Mafra (entrada paga), poderá descobrir para além da flora, vários animais selvagens como veados, gamos, javalis, águias, etc.

30. Ericeira

© wikimedia.org – Filipe Rocha

Localizada a 8 km de Mafra, a pequena vila da Ericeira é basicamente uma vila de pescadores que cresceu ao longo dos anos graças à sua qualidade de vida e às suas magníficas praias, muito populares entre os praticantes de surf.

Além de descobrir as belas praias, perca-se nas ruelas do centro histórico para ver a autenticidade da vila e dos seus habitantes.

Facto histórico: foi daqui que o último rei português, D. Manuel II, fugiu em 5 de outubro de 1910 para Gibraltar a bordo do navio real Amélia, após a proclamação da primeira República Portuguesa.

31. Azenhas do Mar

Azenhas do Mar - Sintra Portugal

Localizada a 14 km do centro histórico de Sintra, a pitoresca aldeia de Azenhas do Mar é um dos lugares mais fotogénicos de Portugal!

No local, pode desfrutar das piscinas naturais e miradouros que oferecem vistas deslumbrantes da vila e do Oceano Atlântico.

Não hesite em comer no restaurante logo acima da piscina para saborear um bom prato português enquanto desfruta de uma vista incrível.

32. Sintra

Palacio da Pena - Sintra

Visitar Sintra é como entrar num reino romântico, onde palácios majestosos, um castelo de contos de fadas e mansões fascinantes emergem entre colinas e florestas exuberantes.

Mesmo que esta vila seja muito turística, recomendo que faça um passeio, pois este local está cheio de maravilhas a não perder, como o Palácio Nacional da Pena, a Quinta da Regaleira ou o Parque e Palácio de Monserrate. Não é por acaso que a paisagem cultural desta vila tenha sido eleita Património da Humanidade pela UNESCO.

Para todas as informações sobre essa vila, convido-o a ler o artigo Top 10 dos sítios a visitar em Sintra.

33. Lisboa

Capital e maior cidade de Portugal, Lisboa aparece no topo da lista entre os destinos turísticos mais populares da Europa.

A cidade das sete colinas conquistou os corações dos visitantes de todo o mundo, graças a uma sumptuosa mistura de tradição e modernidade. Idealmente localizado, pode visitar Lisboa e descobrir as suas muitas facetas durante um fim de semana.

Aqui estão os lugares que não deve perder durante a sua visita a Lisboa:

  • Bairro de Alfama
  • Bairro Alto
  • Ascensor da Bica
  • Bairro da Mouraria
  • Miradouro da Senhora do Monte
  • Praça do Comércio
  • Mosteiro dos Jerónimos

Para descobrir todas as maravilhas e ter todas as informações necessárias para uma estadia inesquecível, convido-o a ler os artigos Top 20 dos principais locais a visitar em Lisboa e Fim de semana em Lisboa: descubra os lugares a não perder em 2 dias.

34. Cristo Rei

cristo rei-ponte 25 de abril

Localizado no município de Almada, na margem sul do Tejo e de frente para Lisboa, o Cristo Rei é um santuário e monumento religioso que representa o Sagrado Coração de Jesus. Inspirado pelo Cristo Redentor do Rio de Janeiro, esta edificação de 110 metros de altura foi inaugurada em 1959.

Este santuário e a estátua, em particular, acolhem de braços abertos aqueles que desejam visitar Lisboa e a sua região. Aqui, pode desfrutar de uma das mais belas vistas da bela capital portuguesa.

35. Costa da Caparica

visitar a Costa da Caparica

A cidade da Costa da Caparica é um lugar a não perder quando visitar os arredores da capital portuguesa.

Conhecida em Portugal pelas suas belas praias, a cidade esconde um tesouro natural que me fascinou completamente, a Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Costa da Caparica.

Se, como eu, gosta de praias com areais de perder de vista, caminhar no meio de paisagens deslumbrantes, admirar os pescadores a trabalhar e descobrir as suas autênticas aldeias, a Costa da Caparica irá surpreendê-lo!

Para descobrir as suas maravilhas, leia o artigo Costa da Caparica, o paraíso de Lisboa.

36. Parque Natural da Arrábida

activites alentours lisbonne-serra-da-arrabida

O Parque Natural da Arrábida é sem dúvida um dos lugares mais bonitos de Portugal. Não é por acaso que o considero um paraíso português!

Ao visitar este parque, descobrirá praias paradisíacas (não precisa de ir para as Caraíbas), miradouros com paisagens irresistíveis e castelos com centenas de anos de história.

Para conhecer as suas maravilhas, leia o artigo Serra da Arrábida, o paraíso português!

37. Cais Palafítico da Carrasqueira

© wikimedia.org – Rúdisicyon

O Cais Palafítico da Carrasqueira, localizado muito perto da Comporta, uma aldeia piscatória muito popular entre o jet set internacional, é um local muito fotogénico usado desde as décadas de 50 e 60 do século XX para os pescadores poderem chegar aos seus barcos sem serem condicionados pelas marés.

38. Praia da Galé – Fontainhas – Melides

Localizada a 10 km da vila de Melides, a praia da Galé é uma das mais bonitas de Portugal! Com vários quilómetros de extensão, esta praia tem falésias incrivelmente bonitas!

O acesso principal é feito pelo parque de campismo da Galé, mas se tiver atenção, encontrará outro acesso junto às casas. Para que possa descobrir essa maravilha, coloco aqui o endereço exato do caminho a ser usado.

Uma vez lá, vá pelas escadas do lado esquerdo da casa e caminhe ao longo do muro do parque de campismo. Encontrará escadas que o levarão à praia. Não se esqueça de se virar para admirar as magníficas falésias.

39. Praia da Samoqueira

plus belles plages du alentejo, Samoqueira - Porto Côvo

A praia da Samoqueira é composta por um pequeno manto de areia coberto de pedras, o que cria ambientes quase íntimos. Está localizado no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, a menos de 3 km da freguesia de Porto Covo.

Para admirar a mesma paisagem na foto acima, deixe o seu carro no estacionamento da praia e caminhe 500 metros em direção a Porto Covo.

40. Rota Vicentina

Rota Vicentina - Almograve - Alentejo

A Rota Vicentina é uma rede de trilhos que totalizam 400 km que podem ser percorridos a pé.

Esta rede de percursos pedestres está inserida no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina e está dividida em 3 partes: o Caminho Histórico, o Trilho dos Pescadores e os Percursos Circulares.

O Caminho Histórico começa em Santiago do Cacém e chega ao Cabo de São Vicente, no Algarve (230 km), por caminhos principalmente rurais, passando por vilas e aldeias com vários séculos de história.

Ao contrário do Caminho Histórico, o Trilho dos Pescadores é um percurso de 120 km que segue as falésias, o mar e os caminhos arenosos que os habitantes locais usam para aceder às praias e aos locais de pesca.

Os Percursos Circulares (partida e chegada no mesmo local) são ideais para quem deseja descobrir as maravilhas da Rota Vicentina sem percorrer muitos quilómetros.

Informação: a melhor época para caminhar na Rota Vicentina é de setembro a junho. Os meses de julho e agosto são muito quentes (temperaturas acima de 30 °C). Nestes 2 meses de calor intenso, prefira fazer um percurso circular de manhã cedo.

Para ter todas as informações necessárias para se preparar para a sua próxima caminhada no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, visite o site da Rota Vicentina.

41. Praia de Monte Clérigo

A praia de Monte Clérigo é um dos meus lugares favoritos em todo o país! Localizado a 8 km de Aljezur, oferece paisagens magníficas. Antes de ir para a praia, pare no topo da colina para apreciar a vista e tirar bonitas fotografias.

Não hesite em percorrer a estrada à sua direita por 800 metros até ao bar / restaurante Taberna do Gabriel II para apreciar a vista da praia da Amoreira. Mesmo que possa ir de carro, recomendo que vá a pé para apreciar este lugar magnífico.

42. Praia da Bordeira

Pouco frequentada, a praia da Bordeira convida-o a passar umas férias relaxantes longe de lugares muito turísticos. Localizada no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, com um areal de 3 km de extensão, a praia é muito popular entre os amantes da natureza e famílias.

O melhor acesso à praia está localizado ao sul da mesma. Ao lado do estacionamento encontrará um passadiço de madeira que permitirá atravessar um pequeno riacho junto à praia sem qualquer problema.

43. Lagos

Lagos é uma cidade com uma grande riqueza histórica, que manteve a sua autenticidade e que tem maravilhas naturais consideradas das mais bonitas do mundo!

Como noutros lugares no sul de Portugal, aqui também os primeiros povos se estabeleceram por mais de 2000 anos e houve muitas influências desde então. Os povos mais importantes a ocupar esta região foram os cartagineses, os romanos e os mouros até que ficou sob domínio português no século XIII.

Desde então, devido à sua grande economia e localização privilegiada, Lagos passou por um enorme desenvolvimento e foi considerada a “capital do Algarve” durante dois séculos.

De facto, Lagos teve um papel importante durante os Descobrimentos portugueses, pois foi desta cidade que muitos barcos partiram em busca de novos mundos e em que navegadores como Gil Eanes se notabilizaram.

A cidade passou por um período de grandes mudanças até 1755, altura em que Lagos foi devastada por um forte terramoto. Foi neste momento que perdeu o estatuto de “capital do Algarve” que passou a pertencer a Faro.

Além do lado histórico, Lagos surpreendê-lo-á com as suas magníficas praias eleitas como as mais bonitas do mundo!

Para descobrir o seu centro histórico e as suas magníficas praias, leia o artigo O que visitar em Lagos, uma das cidades mais bonitas do Algarve!

44. Ferragudo

Esta pequena vila tem um charme como poucas no Algarve. Passeie ao longo do rio e desfrute das belas praias onde pode admirar o pequeno, mas lindo Castelo de São João de Arade, construído em meados do século XV.

Além do castelo e das belas praias, aproveite a sua visita a Ferragudo para se perder nas belas ruas típicas que, com certeza, o encantarão!

Para conhecer melhor esta pequena vila, leia o artigo O que visitar em Portimão, uma das maravilhas do Algarve!

45. Percurso dos 7 Vales Suspensos

Se gosta de belas paisagens (como eu), não pode sair do Algarve sem fazer o Percurso dos 7 Vales Suspensos.

Esta percurso pedestre segue as falésias entre a praia da Marinha e a praia do Vale Centeanes por 5,7 km (11,4 ida e volta), o que permitirá admirar paisagens incríveis e pode ainda fazer uma pausa numa das 3 praias (Marinha, Vale Centeanes e Benagil).

46. Praia da Marinha

Praia da Marinha - Algarve - Portugal

A praia da Marinha é de grande beleza natural, considerada uma das mais bonitas de Portugal e também está entre as 100 melhores praias do mundo. Antes de ir até à praia para apreciar a beleza das rochas e túneis naturais, maravilhe-se com a vista do topo da falésia.

47. Praia da Falésia

Como a praia da Galé em Melides, a praia da Falésia vai surpreendê-lo com a beleza das suas falésias. Está localizada em Olhos de Água, no Algarve (entre Vilamoura e Albufeira).

Para se surpreender com este lugar, visite o miradouro da Falésia ao pôr do sol. É quando as falésias oferecem as suas cores mais bonitas!

48. Alte

Localizada literalmente no centro do Algarve, a aldeia de Alte é outro tesouro pouco conhecido a descobrir durante a sua visita ao Algarve.

Perca-se nas ruas estreitas desta localidade e admire as casas caiadas de branco até chegar à bela Igreja de Nossa Senhora da Assunção, construída no século XIII e remodelada ao longo do tempo. Aqui, pode admirar a janela em estilo manuelino e o seu interior com belos painéis de azulejos.

Se visitar esta aldeia no verão, saiba que a 500 metros da igreja pode desfrutar das águas refrescantes da cascata da Queda do Vigário ou, no outro extremo da aldeia, da praia fluvial de Fonte Grande.

49. Faro

A cidade de Faro é a porta de entrada para quem visita o Algarve de avião, mas muitas vezes é ignorada pelos visitantes que vão diretos para os resorts à beira-mar.

Localizado a apenas 6 km do aeroporto, o centro histórico de Faro irá conquistá-lo com as suas ruas estreitas e intemporais e a sua bela catedral de onde terá uma vista incrível da Ria Formosa.

A pitoresca Cidade Velha e as muralhas medievais, as ruas sinuosas para peões, a marina atraente, os parques e praças bem conservados, os museus e as igrejas são boas razões para visitar Faro e descobrir esta cidade desconhecida.

Para mais informações acerca desta cidade, leia o artigo Top 16 dos sítios a visitar em Faro.

50. Parque Natural da Ria Formosa

Faro - Ria Formosa - Portugal

Reserva natural a partir de 1978 e parque natural desde 1987, a Ria Formosa possui uma biodiversidade significativa que se estende por mais de 60 km e mais de 18 000 ha no total. Este local, formado principalmente por ilhas, pântanos e canais, oferece um espetáculo único no mundo.

Para mais informações sobre cada ilha e como chegar lá, leia o artigo Ria Formosa: venha visitar o paraíso natural do Algarve.

51. Tavira

Tavira - Portugal

Tavira é sem dúvida a cidade mais pitoresca do Algarve. De origem romana, foi durante a ocupação moura que ganhou importância e até ao século XVII, quando Portugal teve que desistir das suas posses no norte de África.

Ao visitar Tavira, descobrirá uma cidade com 21 igrejas, um antigo bairro mourisco, as ruínas de um castelo com uma bela vista da cidade, uma ponte de origem romana e ruelas onde gostará de se perder.

52. Mértola

© wikimedia.org – Agustín Ortega Esquinca

A bela vila de Mértola está localizada no vale do Guadiana, no Alentejo, e apenas a 20 km da fronteira espanhola e do Algarve.

Mértola é uma vila com séculos de história, com vestígios que datam do Neolítico. Durante a sua visita, poderá ver vestígios dos tempos romano, visigótico e muçulmano. Por vários séculos, foi um importante porto fluvial e foi a capital por alguns anos, no século XI, de um pequeno emirado islâmico independente, o Taifa de Mértola.

Perca-se nas belas ruelas da vila para admirar a vista sobre o rio Guadiana, visite o castelo, a Igreja Matriz de Mértola construída numa antiga mesquita e o museu municipal.

Nos arredores de Mértola, descubra uma das cascatas mais relevantes do sul de Portugal, Pulo do Lobo, bem como a mina de São Domingos, usada até 1965 para extração de cobre. Aí, pode fazer uma caminhada no percurso circular da Rota do Mineiro, com 14 km, para admirar esse lugar.

53. Castelo de Beja

© wikimedia.org – Digitalsignal

Melhorado ao longo dos séculos, o Castelo de Beja deve a sua origem à ocupação romana. Durante a sua visita, caminhe pelas muralhas e suba à torre de menagem para ter uma bela vista da cidade de Beja e dos seus arredores. Aproveite a sua visita para descobrir o centro histórico de Beja (catedral, porta de Évora, pelourinho), uma cidade fundada em 400 a.C..

54. Viana do Alentejo

Vila desde o século XIV, Viana do Alentejo irá transportá-lo ao profundo e autêntico Alentejo. Descobrirá uma vila colorida com casas brancas com bordas amarelas, um castelo em forma pentagonal com cinco torres cilíndricas, várias igrejas (a mais bonita fica dentro do castelo), fontes incrivelmente bonitas e um santuário como poucos em Portugal (Santuário de Nossa Senhora d’Aires).

55. Cromeleque dos Almendres

© pixabay.com – mmvazc

Localizado a 17 km do centro histórico de Évora, o Cromeleque de Almendres é o complexo megalítico mais importante de toda a Península Ibérica e um dos mais importantes da Europa. A sua construção ocorreu entre 6000 e 3000 a.C..

56. Évora

Classificada como Património da Humanidade pela UNESCO desde 1986, Évora é apelidada de “cidade-museu” por causa dos seus monumentos, alguns dos quais remontam à época romana.

Évora viveu várias vidas: romana até ao século V, pertenceu aos visigodos até ao século VIII, aos mouros por quatro séculos e, finalmente, aos portugueses a partir de 1165.

Clique aqui para descobrir a minha visita à sublime cidade de Évora e descobrir os lugares a não perder.

57. Monsaraz

Localizada no topo de uma colina, Monsaraz é uma das mais belas vilas de Portugal. Além de poder admirar a vista esplêndida sobre o vale e o Lago Alqueva, um dos maiores lagos artificiais da Europa, pode também passear pelas ruas pitorescas ladeadas por casas brancas.

Conquistada pelos mouros no século VIII, depois reconquistada em 1232 pelo rei D. Sancho II, essa vila tornou-se definitivamente portuguesa em 1640, altura em que foi fortificada.

58. Castelo de Évora Monte

© wikimedia.org – José Barreiro

Este castelo data da reconquista portuguesa de Évora Monte aos mouros em 1160 e é um dos mais incomuns em Portugal.

Localizado no topo da Serra de Ossa, no Alentejo, apresenta uma forma quadrangular com 4 torres circulares em cada extremidade. O seu estilo gótico é misturado com elementos do estilo renascentista de inspiração italiana.

59. Estremoz

© wikipedia.org – PhillipC

Estremoz é sem dúvida uma das cidades a visitar no Alentejo, devido à cidade velha que circunda o castelo. A sua torre de menagem de 28 metros de altura é uma das mais bonitas de Portugal! Este castelo foi construído com o mármore extraído em grandes quantidades na região (Portugal é o segundo maior exportador de mármore do mundo).

Na cidade velha, localizada no interior das muralhas, visite a fortaleza (não se esqueça de subir ao topo para ter uma vista soberba dos arredores), o castelo que data do século XII e onde pode dormir (Pousada do Castelo de Estremoz, link afiliado), a Capela de Santa Isabel, a Igreja Matriz de Estremoz e o Paço do Concelho.

Na “cidade nova”, visite o Centro Ciência Viva de Estremoz, um museu interativo e educacional localizado num antigo convento.

Admire a bela fachada da Igreja do Convento dos Congregados de Estremoz e a do café / restaurante Águias d’Ouro.

60. Vila Viçosa

Vila Vicosa - Alentejo

A princesa do Alentejo tornou-se uma vila museu em 1910 com a proclamação da Primeira República e o fim da monarquia.

Primeiro romana, depois muçulmana até 1217, Vila Viçosa tornou-se uma das vilas mais importantes de Portugal a partir de 1461, com a chegada dos duques de Bragança, a família nobre mais poderosa depois da Casa Real.

Também é conhecida mundialmente pelo seu mármore extraído de dezenas de pedreiras na região.

Durante a sua visita, não deixe de conhecer o majestoso Paço Ducal, antiga residência dos Duques de Bragança, o Castelo de Vila Viçosa, construído no século XIII, o Santuário de Nossa Senhora da Conceição e a bela Igreja de São João Evangelista.

61. Elvas

Elvas

Classificada como Património da Humanidade pela UNESCO, Elvas é para mim uma das cidades mais bonitas de Portugal. Foi fortemente fortificada a partir de 1640, durante a restauração da independência portuguesa, para se proteger de ataques da vizinha Espanha.

Para aguentar um longo cerco e abastecer a cidade com água, um aqueduto composto por 843 arcos e 7 km de extensão foi construído pelo mesmo arquiteto que construiu a Torre de Belém em Lisboa.

Para conhecer todas as maravilhas de Elvas, leia o artigo Descobrir Elvas, a maior cidade fortificada da Europa.

62. Coudelaria de Alter

© wikipedia.org – Publisher to

A Coudelaria de Alter, localizada muito perto da vila de Alter do Chão (daí o nome), foi fundada em 1748 para desenvolver a raça lusitana de cavalos. É a mais antiga coudelaria portuguesa e a mais antiga coudelaria em atividade em todo o mundo.

Quando chegar à coudelaria, pode aprender mais acerca da sua história, visitar os estábulos, o museu, ter aulas de equitação e ver o passeio diário das éguas que vão ao pasto.

Para horários de visita, preços e endereço exato, clique aqui.

63. Marvão

Marvao - Alentejo

Esta pequena vila é um dos postais do Alentejo! Marvão está orgulhosamente no alto dos penhascos da Serra do Sapoio, a uma altitude de 860 metros. Com uma história única e uma rara beleza, este lugar está na lista de candidatos a Património da Humanidade da UNESCO.

Durante a sua visita, perca-se nas ruas estreitas, protegidas por muralhas. Explore todos os cantos e vá ao Castelo de Marvão. Aqui, poderá admirar a paisagem que se estende por dezenas de quilómetros e imaginar como seria viver neste lugar há centenas de anos.

Informação: aproveite a sua visita a Marvão para descobrir uma das catedrais mais bonitas de Portugal, a Sé Catedral de Portalegre.

64. Castelo de Vide

Castelo de Vide

A bela vila de Castelo de Vide é uma joia do Alentejo, um lugar incrível, onde encontrará vestígios dos tempos medievais.

Com séculos de história, esta vila tem vários pontos de interesse que merecem a sua visita. Não hesite em passar algum tempo a passear pelas ruas estreitas da cidade e visitar estes lugares:

  • Castelo
  • Judiaria (antigo bairro judeu)
  • Forte de São Roque
  • Fortificações renascentistas (século XVII)

65. Belver

© pixabay.com – Pedro Ramalho

Localizada na margem norte do rio Tejo, a aldeia de Belver é um local muito fotogénico. Para desfrutar plenamente de Belver, deixe o seu carro na praia fluvial de Alamal e passeie pelos passadiços de madeira colocados junto ao rio, numa extensão de 2 km.

Aproveite esta caminhada para tirar lindas fotografias do rio e do Castelo de Belver, construído no século XIII. Volte para o seu carro, atravesse a Ponte de Belver e explore a aldeia. Visite o castelo, o Museu do Sabão e o Núcleo Museológico das Mantas e Tapeçarias de Belver.

66. Aldeias Históricas

Piodao

Visitar as aldeias históricas significa descobrir uma rede de 12 aldeias que datam dos tempos medievais, onde parte da história de Portugal se desenrolava.

Estas aldeias são o resultado do repovoamento pelos portugueses de terras recuperadas aos muçulmanos e para proteger as fronteiras com a vizinha Espanha.

Além de descobrir parte da história portuguesa, ao visitar essas aldeias, poderá admirar um Portugal autêntico, casas construídas com material da região, muitas vezes protegidas por um castelo, e cumprimentar os idosos que aí moram!

Se não tiver tempo para conhecer as 12 aldeias, recomendo que visite pelo menos Monsanto, Sortelha, Marialva e Piódão.

Para descobrir essas aldeias ao pormenor, leia o artigo Descubra as 12 aldeias históricas de Portugal.

67. Penha Garcia

© wikipedia.org – Celso Pinto de Carvalho

Situada muito perto da fronteira com Espanha, Penha Garcia possui, como muitas aldeias e vilas próximas da fronteira, um castelo construído na Idade Média para proteger a população dos ataques do reino de Leão (hoje Espanha) no leste e dos muçulmanos no sul.

Do castelo, terá uma bela vista sobre a aldeia que também deve conhecer, a barragem no rio Pônsul, os moinhos de água e a praia fluvial (piscina) do Pego.

68. Serra da Estrela

© unsplash.com – Renato Cerqueira

O Parque Natural da Serra da Estrela é a maior área protegida de Portugal, com 101 000 hectares. Ao visitar o parque, poderá fazer caminhadas no meio de incríveis paisagens, descobrir o ponto mais alto em Portugal continental com 1993 m (Torre) e esquiar na única pista de esqui de Portugal.

Não deixe de provar o Queijo da Serra e descobrir as localidades do Sabugueiro, Linhares da Beira, Loriga, as cidades da Covilhã e da Guarda e maravilhas naturais como a Lagoa Comprida, o Covão dos Conchos e o Vale Glaciar do Zêzere.

69. Viseu

Praca Dom Duarte Viseu

Viseu é uma cidade desconhecida pelos turistas (estrangeiros), mas tem mais-valias que poucas cidades têm em Portugal! Não é por acaso que foi eleita a melhor cidade para se viver em Portugal por várias ocasiões.

Viseu é uma cidade com origens que remontam à Idade do Ferro. Foi conquistada pelos romanos, após forte resistência do povo lusitano (os antepassados dos portugueses).

Depois de alguns anos sob o domínio dos visigodos, Viseu chegou a mãos muçulmanas no ano 716.

A cidade voltou a ser cristã em 1058, com a vitória do rei Fernando I de Leão, e em 1123 Viseu ficou parte do Condado Portucalense. Após essa integração, a cidade foi atacada várias vezes por tropas de Castela (Espanha).

Para proteger a cidade, o rei D. João I de Portugal construiu um muro defensivo em toda a cidade, dos quais ainda restam dois dos sete portões originais (Porta do Soar e Porta dos Cavaleiros).

Como pode ver, Viseu tem uma história rica, mas a cidade não viveu apenas do seu passado, soube modernizar-se e hoje oferece uma qualidade de vida excecional. Não é por acaso que a população passou de 33 000 pessoas em 1801 para mais de 99 000 em 2011 (último censo).

Durante a sua visita, admire pelo menos a Sé Catedral de Viseu, as Portas do Soar e dos Cavaleiros e aprecie as muitas obras de arte urbana espalhadas por toda a cidade.

Aproveite a sua visita a Viseu, para caminhar ou andar de bicicleta na Ecopista do Dão, localizada na antiga linha ferroviária do Dão (desativada em 1988). Poderá descobrir 49 km (98 km ida e volta) de belas paisagens, estações antigas, túneis, pontes, os rios Dão e Paiva e uma locomotiva a vapor de 1885.

Para mais informações sobre esta cidade e os lugares a descobrir nas redondezas, leia o artigo O que visitar em Viseu, a melhor cidade para se viver em Portugal.

70. Pinhel

© wikipedia.org – Ken & Nyetta

Perto de várias aldeias históricas (Almeida, Castelo Rodrigo, Trancoso), Pinhel merece um pequeno desvio para descobrir a parte histórica da cidade localizada dentro das muralhas construídas na Idade Média (ao mesmo tempo que o castelo) para proteger as fronteiras portuguesas dos ataques do Reino de Leão.

71. Castelo de Penedono

Este castelo, situado na vila de Penedono é para mim um dos mais bonitos de todo o Portugal! Mesmo que date do século X, a sua estrutura atual foi edificada no século XIV.

72. Freixo de Numão

© wikipedia.org – David Perez

Apenas a 12 km do Douro, o Freixo de Numão é uma freguesia do município de Vila Nova de Foz Côa, rodeada por belas paisagens compostas por vinhas, oliveiras e amendoeiras.

Durante a sua visita, além de se perder nas ruelas da aldeia onde se encontra o belo pelourinho, visite o Museu da Casa Grande, localizado numa bela mansão do século XVIII (solar), outrora habitada pelos nobres da região.

Pode admirar muitos objetos usados ​​na cultura e na economia local (pastorícia, vinho, azeite, amêndoas) e uma secção dedicada à arqueologia.

Nas imediações pode visitar o Castelo Velho, um sítio arqueológico onde estão localizadas as ruínas de uma construção fortificada de 3000 a 2000 a.C. e o sítio arqueológico de Prazo, onde pode admirar as ruínas de uma cidade romana.

73. Parque Arqueológico do Vale do Côa

Classificado como Património da Humanidade pela UNESCO, o sítio pré-histórico da arte rupestre do vale do rio Côa é o mais importante local de arte rupestre ao ar livre do Paleolítico Superior de toda a Europa.

Este lugar excecional quase ficou submerso pelas águas de uma barragem que ia ser construída. Decidido em 1991, foi somente em 1995 que o governo português da época parou a construção para salvar essa maravilha histórica.

Durante a sua visita ao Parque Arqueológico de Vale do Côa, comece por ir ao Museu do Côa, inaugurado em 2010, para mostrar em detalhe a arte rupestre. Neste edifício moderno, que combina perfeitamente com a natureza circundante e oferece uma vista deslumbrante dos rios Côa e Douro, pode ver a exposição permanente e exposições temporárias sobre esta arte especial.

Além da sua visita ao Museu do Côa, pode e deve fazer uma visita guiada para descobrir um dos três centros de arte rupestre: Penascosa (com partida da vila de Castelo Melhor), Ribeira de Piscos e Canada do Inferno (partida do museu).

Informação: no edifício do Museu do Côa, encontra-se o restaurante Côa Museu, onde eu sugiro que almoce ou jante enquanto desfruta de uma vista soberba sobre o vale do Douro e Côa.

74. Miradouro de Penedo Durão

Este miradouro é para mim um dos mais bonitos do Vale do Douro! Aqui, poderá desfrutar das belas paisagens portuguesas e espanholas (do outro lado do rio) deste belo vale, uma barragem e, sem dúvida, terá a oportunidade de ver muitos aves de rapina (abutre egípcio, águia-real, falcão peregrino).

Aproveite a sua visita a este miradouro para descobrir a vila de Freixo de Espada à Cinta, localizada a cerca de 12 km do miradouro de Penedo Durão. Aproveite a visita para descobrir o centro histórico, em particular:

  • A Torre do Galo
  • As muralhas do castelo velho
  • Igreja Matriz

75. Miradouro de Picote

© wikipedia.org – Gelomadrid15

O miradouro de Picote é outro miradouro que oferece magníficas vistas sobre o vale do Douro. Está localizado na aldeia de Picote, no Parque Natural do Douro Internacional, a 18 km de Miranda do Douro, uma cidade com 2 línguas oficiais: o português e o mirandês.

76. Bragança

Fundada no século II a.C., Bragança é uma cidade para visitar durante a sua estadia em Portugal, especialmente pela sua bela cidadela. Aí, encontrará a Igreja de Santa Maria, o Domus Municipalis construído no século XII, que serviu de cisterna e depois como câmara municipal, o pelourinho, o belo castelo de Bragrança, além do Museu Ibérico da Máscara e do Traje.

Fora da cidadela, no atual centro da cidade, visite o Museu do Abade de Baçal, a Igreja de São Vicente, depois vá pela estrada N217-1 e pare no miradouro da Cidadela. para tirar belas fotos da cidadela de Bragança.

77. Parque Natural de Montesinho

Moimenta - montesinho

O Parque Natural de Montesinho é um dos meus lugares favoritos em Portugal devido à sua autenticidade, às suas belas paisagens e às suas aldeias congeladas no tempo.

Com mais de 75 mil hectares, o parque é lar para aproximadamente 9000 habitantes dispersos em 92 aldeias, das quais uma (Rio de Onor) é cortada em duas pela fronteira espanhola.

Além de Rio de Onor, visite as aldeias de Montesinho, Gondesende, Dine, Moimenta, Guadramil e o Parque Biológico de Vinhais, onde pode admirar mais de 23 raças de animais, como veados, javalis, águias, burros, etc..

Para saber como correu a minha visita a este maravilhoso parque natural, leia o artigo 2 dias fabulosos em Bragança e no Parque Natural de Montesinho.

78. Favaios

© wikipedia.org – FlyingCrimsonPig

Favaios é uma aldeia vitícola localizada na região delimitada do Douro (classificada como Património da Humanidade pela UNESCO) que eu o convido a visitar quando vier a esta bela região de Portugal.

A aldeia é conhecida pelo seu delicioso vinho moscatel, uma casta originária da Grécia ou do Egito, produzida em Portugal na península de Setúbal, a sul de Lisboa, e em Favaios.

Durante a sua visita, vá ao miradouro da Capela de Santa Bárbara para ter uma bela vista do vale, visite o centro da aldeia cercada por vinhas, o Museu do Pão e do Vinho (Núcleo Museológico de Favaios, Pão e Vinho) e também a Adega Cooperativa de Favaios.

Lá, descobrirá como o vinho moscatel é produzido, onde é armazenado e ainda terá a possibilidade de provar esse delicioso vinho.

79. Miradouro do Ujo

A partir deste miradouro, terá uma vista incrível do vale do Tua e do rio com o mesmo nome que vai desaguar no rio Douro.

80. Miradouro Olhos do Tua

No lado sul do vale do Tua, este miradouro também oferece vistas incríveis do rio e do vale. Aproveite a sua visita a esta região para visitar o Centro de Interpretação do Vale do Tua, localizado na estação de comboios do Tua, de frente para o rio Douro.

Não deixe de experimentar o restaurante Calça Curta ou o Tua Mercearia, restaurantes muito populares entre os que aqui vêm!

81. Pinhão

No centro da região demarcada do Douro, Pinhão é sem dúvida uma das aldeias mais famosas do Vale do Douro, devido à sua bonita estação ferroviária, com 24 painéis de azulejos que representam as paisagens do Douro e cenas das vindimas.

Rodeado por vinhas, também aqui se encontram quintas onde o vinho do Porto é produzido e que pode visitar para descobrir todos os detalhes do processo de produção deste saboroso vinho. Entre outras quintas, convido-o a visitar a Quinta do Bomfim, a Quinta do Seixo ou a Quinta das Carvalhas.

Não deixe o Pinhão sem fazer um cruzeiro pelo rio Douro num barco tradicional que costumava transportar vinho para o Porto. Este cruzeiro de pelo menos 1 hora dar-lhe-á a conhecer a parte mais bonita do Vale do Douro de uma perspetiva diferente.

A aldeia também é cercada por miradouros fabulosos, como o Miradouro Casal de Loivos e o Miradouro Torguiano de São Cristóvão do Douro.

Se quiser descobrir todos os segredos deste vale magnífico, convido-o a ler o artigo Roteiro para visitar o Vale do Douro e o Porto em 7 dias.

82. Miradouro de São Leonardo de Galafura

Localizado a cerca de 20 km do Peso da Régua, o miradouro de São Leonardo de Galafura oferece umas vistas excecionais. Daqui, pode admirar o rio Douro, vinhas em socalcos e o resto da paisagem – cujas características fazem do Alto Douro Vinhateiro um local classificado como Património da Humanidade.

83. Palácio de Mateus

© pixabay.com – DerWeg

Este magnífico palácio do século XVIII, obra de Nicolau Nasoni, distingue-se pelo estilo barroco e pela beleza circundante dos seus jardins, lagos, florestas e vinhas. Aproveite a sua visita ao Vale do Douro para descobrir este monumento nacional, bem como a sua adega e capela.

Site: www.casademateus.com

84. Estrada Nacional 2

© wikipedia.org – DrNOFX97

Com 739 km de extensão, a Estrada Nacional 2 é a mais longa estrada portuguesa e a única na Europa que atravessa um país em todo o seu comprimento (existem apenas 3 no mundo: Rota 66 nos Estados Unidos, Ruta 40 na Argentina e N2 em Portugal).

O seu percurso começa na cidade de Chaves, perto da fronteira espanhola (extremo norte de Portugal) e atravessa o interior do país até Faro, capital do Algarve.

Ao seguir este percurso, poderá descobrir muitos locais mencionados neste artigo, ver as diferentes paisagens do norte e centro de Portugal, admirar as planícies do Alentejo e terminar com o interior do Algarve.

© visitportugal.com

85. Lamego

Uma cidade milenar, Lamego está localizada na região delimitada do Douro e tem muitos monumentos para visitar quando explorar esta parte de Portugal.

No centro da cidade, visite a bela Sé Catedral de Lamego, construída no século XII, o Museu de Lamego, o castelo de onde terá uma bela vista da cidade e as ruelas em redor.

Suba ao Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, construído a partir de 1750 e concluído em 1905 com características do estilo barroco e rococó.

Vá de carro ou suba as longas e bonitas escadas decoradas com azulejos que saem do centro da cidade.

86. Drave

© wikipedia.org – João Nuno Brochado

A aldeia de Drave é uma das mais isoladas de todo o país. Está localizada no fundo de um vale entre várias montanhas a 35 km da cidade de Arouca.

Habitada por muitos séculos, a aldeia de Drave agora está abandonada (o último habitante saiu em 2000) e para chegar lá, precisa de caminhar 4 km (2 horas) da aldeia de Regoufe.

A sul da aldeia, existe um caminho florestal de terra que o levará a alguns metros da aldeia, mas não recomendo que conduza os 3 km desse caminho. Faça isso apenas se tiver um jipe.

87. Miradouro Frecha da Mizarela

© wikipedia.org – Muaddib2015

O miradouro da Frecha da Mizarela oferece uma vista incrível da cascata com 60 metros de altura com o mesmo nome. Se quiser aproximar-se da cascata, pode fazer o percurso pedestre PR7 de aproximadamente 9 km (6 horas).

Também pode admirar esta cascata e ter uma vista panorâmica desta bela parte de Portugal se subir ao topo do radar meteorológico de Arouca.

88. Miradouro do Detrelo da Malhada

Localizado no Geopark de Arouca, como o miradouro anterior, o miradouro do Detrelo da Malhada oferece uma magnífica vista panorâmica da Serra da Freita e do vale de Arouca.

89. Passadiços do Paiva

Passadicos do paiva

Os Passadiços do Paiva são um percurso pedestre de 8 km localizados a 14 km da cidade de Arouca. A grande parte do percurso é realizada em passadiços de madeira (daí o nome do percurso) no meio da serra que acompanha o rio Paiva, um rio que desagua no Douro.

O percurso foi inaugurado em junho de 2015 e, desde então, tornou-se uma das grandes atrações de Portugal. No primeiro ano, quase 8000 pessoas visitavam este sítio todos os dias.

Para evitar os efeitos nocivos de um número muito grande de pessoas, o percurso agora é limitado a 3500 pessoas por dia e uma taxa de entrada de pelo menos 2 euros deve ser paga para ser usada para pagar a manutenção do percurso.

No percurso, encontrará terminais SOS, 3 praias fluviais (uma no meio e as outras duas nas extremidades), um bar de cada lado e, claro, paisagens fabulosas.

O percurso é considerado difícil, lembre-se de que se não puder fazer a viagem de ida e volta (16 km), encontrará táxis que permitirão chegar ao ponto de partida por cerca de € 15.

Convido-o a visitar o site oficial para obter todas as informações necessárias (coordenadas GPS, mapa, horários, compra de bilhetes).

Informação: no final de 2020 ou no início de 2021, será inaugurada a maior ponte pedonal suspensa do mundo, com 516 metros de comprimento e 175 metros acima do rio Paiva. Sem dúvida, será a atração imperdível nos próximos anos!

90. Igreja de São Martinho de Soalhães

À primeira vista, a Igreja de São Martinho de Soalhães, localizada a 20 km de Amarante e do rio Douro, não é nada fora do comum, mas não se deixe enganar pelas aparências!

Construída no século XII, em estilo românico, o interior da igreja irá impressioná-lo, principalmente se gostar de belas decorações em azulejos.

Pode ser visitado com hora marcada ou durante as duas missas semanais (17h30 de sábado e 21h15 de domingo). Para obter detalhes completos sobre a igreja e marcar uma visita, visite o site da Rota do Românico.

91. Amarante

Nesta linda cidade, aconselho-o a reservar um tempo para explorar o centro histórico, pois está repleto de locais imperdíveis:

  • Igreja e Convento de São Gonçalo
  • Ponte de São Gonçalo
  • Igreja de São Pedro
  • Igreja de São Domingos
  • Museu Municipal de Amadeo de Souza-Cardoso

Além dos locais mencionados acima, passeie pelas ruelas do centro histórico e faça uma caminhada ao longo do rio Tâmega; saboreie também as sobremesas típicas da região e desfrute de uma refeição agradável num dos restaurantes com vista para o rio.

92. Parque Natural do Alvão

Localizado perto da cidade de Vila Real e do famoso Palácio de Mateus, o Parque Natural do Alvão é um dos mais pequenos parques naturais portugueses (72,2 km2), mas também um dos mais autênticos!

Quando estiver a explorar este sítio, aproveite para visitar as aldeias de Ermelo e a de Lamas de Olo (localizada a 1000 metros acima do nível do mar), que mantém uma atmosfera de paz e simplicidade, com as suas pequenas casas de granito tradicionais cobertas de palha.

O lugar mais famoso do parque é a cascata Fisgas do Ermelo, localizada a 6 km da vila de Ermelo. Para admirar essa beleza natural sem esforço, dirija-se ao miradouro de Fisgas do Ermelo.

Para quem gosta de aventura e caminhadas, siga o percurso circular PR3 de 12 km (4h30), que começa na aldeia de Ermelo e que passa pelos lugares mais bonitos do rio Olo.

Com partida do parque natural e até ao próximo ponto, faça um pequeno desvio e vá ao Santuário da Senhora da Graça de Mondim de Basto, a mais de 1000 metros acima do nível do mar, conhecido por ser uma das etapas mais difíceis da Volta a Portugal em Bicicleta.

93. Guimarães

Guimaraes

Conhecido como o “berço da nação portuguesa“, Guimarães é uma cidade cheia de história que certamente o surpreenderá!

Aqui, em 1128, ocorreram alguns dos principais eventos políticos e militares que levaram à independência e ao nascimento de uma nova nação: Portugal.

Guimarães é uma das cidades históricas mais importantes do país, e o seu centro histórico, considerado Património da Humanidade pela UNESCO, é um dos mais bonitos de todo o país!

Para descobrir as maravilhas desta cidade, leia o artigo Top 10 dos melhores sítios a visitar em Guimarães.

94. Braga

Visiter Braga

Braga foi fundada pelos romanos há mais de 2000 anos, com o nome Bracara Augusta. É a cidade portuguesa mais antiga e uma das mais antigas cidades cristãs do mundo.

Braga é conhecida como a Roma portuguesa por causa das suas muitas igrejas bonitas, mas esconde outros tesouros que não devem ser desperdiçados, como belos monumentos, gastronomia, artesanato, tradições e festividades.

Durante a sua visita à terceira cidade de Portugal, não perca a oportunidade de conhecer o centro histórico, o Santuário do Bom Jesus do Monte, classificado em 2019 como Património da Humanidade pela UNESCO, e o Santuário do Sameiro.

Para mais informações acerca de Braga, leia o artigo Top 20 dos melhores sítios a visitar em Braga.

95. Parque Nacional da Peneda-Gerês

Parque Nacional Peneda Geres

Criado em 1971, o Parque Nacional da Peneda Gerês abriga mais de cem aldeias de granito que pouco mudaram desde a criação de Portugal no século XII.

As aldeias mais antigas permanecem isoladas da vida moderna. Os bois ainda são conduzidos pelas ruas de paralelepípedos por mulheres vestidas de preto e os pastores ainda deixam os seus rebanhos pastando por longos meses.

Nas áreas mais isoladas do parque, ainda se podem encontrar lobos bem como javalis, texugos, lontras, veados e cavalos selvagens.

Além de animais selvagens, também se podem ver espécies domesticadas que são mais facilmente observadas, como bois com chifres longos, cabras, ovelhas autóctones, bem como o rústico Castro Laboreiro, um cão pastor.

Mas não encontrará apenas aldeias congeladas no tempo. Quando visitar o Parque Nacional da Peneda Gerês, poderá admirar as magníficas paisagens, graças aos muitos miradouros, banhar-se numa das muitas cascatas, apreciar os diferentes monumentos com uma longa história de vários séculos e pode até descansar numa vila termal!

Se gostar de natureza e autenticidade, o Parque Nacional da Peneda-Gerês é o lugar para si quando visitar Portugal!

Para descobrir as maravilhas e as informações necessárias para visitar este paraíso, leia o artigo Top dos melhores sítios a visitar no Parque Nacional da Peneda-Gerês.

96. Sistelo

© wikipedia.org – Marta Arias López

Muito perto do Parque Nacional da Peneda-Gerês, a aldeia de Sistelo é uma das que não pode perder durante a sua visita a Portugal!

Localizada nas margens do rio Vez, na parte inferior do vale da Peneda, a aldeia possui uma paisagem excecional que foi elevada ao nível de monumento nacional em 2017 pelo Presidente da República Portuguesa. Esta foi a primeira paisagem em Portugal a ter essa classificação (normalmente esse título é dado apenas a monumentos importantes no país).

No local, terá a oportunidade de admirar os campos em socalcos, conhecidos como o pequeno Tibete Português, onde o milho é produzido, alimento para a subsistência dos habitantes e a erva para as vacas, que são a principal fonte de rendimento da aldeia (além do turismo).

Depois de admirar as paisagens no miradouro dos Socalcos, os espigueiros e a capela de Santo António, siga para o centro da aldeia para ver o castelo do visconde de Sistelo.

Se gostar de fazer caminhadas, saiba que Sistelo e a sua bela região têm muitos percursos pedestres. O mais conhecido é o da Ecovia do Vez, que parte da aldeia e corre ao longo do rio Vez por 32 km. Uma grande parte do percurso é feita em passadiços de madeira, que permitem caminhar muito perto do rio.

Existem várias entradas ao longo do caminho, portanto pode só fazer parte do percurso. Aconselho que faça a parte entre a vila de Arcos de Valdevez e Sistelo (20 km) ou entre a ponte medieval de Vilela e Sistelo (12 km). Termine a sua caminhada na aldeia para ter a opção de apanhar um táxi para voltar ao ponto de partida.

97. Branda da Aveleira

Mesmo à entrada do Parque Nacional da Peneda-Gerês, Branda da Aveleira é uma pequena aldeia que tem como particularidade ter sido habitada durante muito tempo, apenas 6 meses por ano.

Nesta região montanhosa onde neva no inverno, os habitantes viam-se obrigados a descer o vale para encontrar comida para os animais. Eles ficavam lá até à primavera nas suas segundas residências e depois mudavam-se novamente para Branda da Aveleira, assim que as montanhas ficassem novamente descobertas.

Informação: as aldeias utilizadas no verão são denominadas “brandas” e as utilizadas no inverno são denominadas “inverneiras”.

Durante a sua visita, poderá ver as pequenas casas de granito, algumas das quais foram restauradas para o turismo residencial onde também poderá dormir quando chegar a esta autêntica região de Portugal.

Esta aldeia é apenas um exemplo das muitas aldeias usadas pela população local. Entre Sistelo e Castro Laboreiro, no Parque Nacional da Peneda-Gerês, terá a possibilidade de descobrir várias.

98. Melgaço

© wikipedia.org – Krzysztof Golik

Melgaço é uma das vilas mais bonitas localizadas nas margens do rio Minho e na fronteira espanhola. Ela é bem conhecida em Portugal pelo seu delicioso vinho verde Alvarinho, mas a vila não é só isso!

Durante a sua visita, perca-se nas ruelas do belo centro histórico localizado em redor do castelo do século XII, construído para defender a cidade e a fronteira contra ataques do Reino de Leão.

Depois de admirar a vista da fortaleza, visite o Museu do Cinema, a Igreja Matriz de Melgaço e a Igreja da Misericórdia, e não saia sem provar o vinho da região no Solar do Alvarinho.

Quando sair de Melgaço, faça uma paragem no parque termal de Peso, criado no século XIX, após a descoberta das propriedades terapêuticas das suas águas.

Aí, encontrará um belo jardim, o rio Peso, um spa e o belo pavilhão em Art Nouveau, onde fica a principal fonte do parque.

99. Valença

© wikipedia.org – juantiagues

A 40 km de Melgaço, nas margens do rio Minho e na fronteira com a Espanha, há outra cidade que vale a pena visitar na região do Alto Minho.

Valença, também conhecida como Valença do Minho, possui a terceira maior fortaleza de Portugal. Dentro dos 5,5 km de muralhas construídas a partir do século XIII, fica o belo centro histórico, com muitas igrejas, museus e, claro, muitas lojas.

Informação: o caminho português de Santiago de Compostela sai de Portugal pela cidade de Valença.

Se gostar de caminhar ou andar de bicicleta enquanto descobre belas paisagens, saiba que o antigo trilho de 16 km que ligava Valença a Monção foi transformado numa ciclovia (Ecopista do Minho).

Ao longo do trajeto acessível a todos, poderá admirar as vinhas da região, os campos, o rio, as estações antigas e as aldeias, como Lapela e a sua bela torre de menagem, de onde terá uma excelente vista para o rio Minho, a aldeia e Espanha.

100. Ponte de Lima

Ponte de Lima

Fundada em 1125 pela condessa D. Teresa de Leão, mãe do primeiro rei português, Ponte de Lima é uma das vilas mais antigas em Portugal e uma das mais bonitas!

Fortificada no século XIV devido à sua posição estratégica, a vila medieval foi protegida por muralhas com 9 torres e a entrada era feita por um dos seis portões.

No século XVIII, a vila cresceu e uma grande parte das muralhas foi destruída. Deste período, resta uma porta, duas torres, uma das quais serviu como prisão, mas Ponte de Lima manteve o seu charme e autenticidade medievais.

Quando visitar o norte de Portugal, saiba que Ponte de Lima é um lugar a não perder pela sua história, beleza e incrível autenticidade.

Para descobrir as joias escondidas de Ponte de Lima (a minha vila natal), leia o artigo Top dos sítios a visitar em Ponte de Lima.

Roteiro para visitar os 100 sítios mais bonitos de Portugal

Para facilitar a preparação do seu roteiro, neste artigo eu falei acerca dos 100 lugares para visitar em Portugal na ordem em que aconselho que os descubra.

O roteiro que apresento a seguir é circular, o que significa que pode começar em Viana do Castelo, conforme apresentado neste artigo, ou no Porto, Lisboa ou Faro, se chegar a Portugal de avião ou por uma das fronteiras terrestres.

Para visitar os 100 lugares mais bonitos de Portugal, são necessários pouco mais de 4300 km e uma estadia de pelo menos 2 meses.

Se não puder fazer uma estadia de 2 meses em Portugal de uma só vez, poderá dividir esse roteiro em várias estadias ou criar o seu próprio roteiro com base no número de dias disponíveis e nos locais que mais lhe interessam.

Além deste top 100, pode inspirar-se noutros roteiros para visitar Portugal de 2 a 15 dias, que eu criei para si.

Como deve imaginar, não apresentei neste artigo todas as belezas portuguesas, mas ao visitar os 100 lugares mencionados acima, descobrirá mais de 90 % dos lugares incríveis de Portugal (sem mencionar o arquipélago da Madeira e o arquipélago dos Açores)!

Vai visitar Portugal? Não hesite em reservar o seu hotel, o seu carro ou as melhores atividades passando pelos links aqui em baixo. Vai-me permitir continuar a oferecer-lhe gratuitamente dicas e guias para visitar Portugal. Obrigado!