Braga encontra-se no Norte de Portugal e foi fundada pelos romanos há mais de 2000 anos com o nome Bracara Augusta. É das mais antigas cidades portuguesas e uma das cidades cristãs mais antigas do mundo.

Considerada como a capital do Minho, Braga é a terceira maior cidade do país, depois de Lisboa e Porto. Em 2012 foi Capital Europeia da Juventude e em 2019 foi considerada como o segundo melhor destino turístico europeu.

Braga é conhecida como sendo a “Roma portuguesa” devido às muitas e bonitas igrejas que aí se encontram. Mas outros tesouros se escondem nesta cidade e que não pode perder – é o caso de bonitos monumentos, a gastronomia, o artesanato, as tradições e as festas populares e religiosas.

Em baixo, encontrará os 20 lugares a não perder aquando da sua visita a Braga, o roteiro para descobrir facilmente as maravilhas da cidade, onde dormir, onde comer bem como as tradições e festas que também pode conhecer!

Top dos sítios a visitar em Braga:

Centro histórico:

1. Basílica dos Congregados

A Basílica dos Congregados foi edificada no século XVIII (mas concluída apenas em 1964 com a construção da torre oeste) e fez parte do antigo Convento dos Congregados de estilo barroco.

No interior da igreja, poderá admirar quatro estátuas em granito representando Abraão, Isaac, Jacob e David e na capela-mor o estuque característico do estilo rococó da cidade de Braga.

2. Arcada da Lapa

Arcada da Lapa - visiter Braga

Localizada na Praça da República, a arcada foi construída em 1715 onde se encontrava parte da muralha do castelo da cidade. Este lugar abrigado serviu durante muito tempo para os comerciantes da cidade venderem os seus produtos.

Entre 1761 e 1764, foi construída no meio da arcada a Igreja da Lapa devido à crescente devoção dos habitantes à Nossa Senhora da Lapa.

Sob a arcada encontram-se atualmente dois cafés/restaurantes históricos de Braga: o Café Vianna, inaugurado em 1871 e o Café Astória aberto em 1928. Não hesite em descansar durante algum tempo e tomar um café enquanto aprecia a beleza desta praça.

3. Igreja dos Terceiros

Igreja-dos-Terceiros Braga

Situada na parte de trás da Arcada da Lapa, a Igreja dos Terceiros foi construída em 1690 pela Ordem dos Franciscanos. À primeira vista, a igreja não tem nada de extraordinário, mas convido-o a entrar para admirar os bonitos painéis de azulejos.

4. Torre de Menagem do Castelo de Braga

Torre-de-Menagem-do-Castelo-de-Braga

A torre de menagem, com cerca de 30 metros de altura, é a única parte que resta do castelo de Braga, destruído em 1906. O castelo primitivo data da época romana (século III), tendo sido sujeito a obras de melhoramento ao longo dos séculos.

A partir do século XVI, o castelo perdeu a sua função defensiva devido às novas técnicas usadas pelas forças adversárias.

Como já referi anteriormente, o castelo foi destruído no início do século XX, perpetuando um costume local de destruir tudo o que é antigo para construir o que é novo. Braga sofreu um pouco deste mal e, infelizmente, perdeu alguns dos seus edifícios históricos à custa disto.

5. Jardim de Santa Bárbara

Jardim-de-Santa-Barbara-Braga

O Jardim de Santa Bárbara é um dos sítios a não perder durante a sua visita a Braga. Para além da sua beleza natural, este sítio está rodeado de edifícios históricos.

Pode admirar no centro do jardim uma fonte do século XVII com uma estátua de Santa Bárbara que deu o nome a este sítio. Em frente, encontra-se o Paço Arquiepiscopal construído entre os séculos XIV e XV e, à esquerda, as traseiras da Reitoria da Universidade do Minho e o bonito Largo do Paço.

6. Museu dos Biscainhos

Criado em 1978, o Museu dos Biscainhos está instalado no palácio com o mesmo nome, construído no século XVII e que serviu como habitação, entre outros, aos condes de Bertiandos, família importante da nobreza portuguesa; recebeu igualmente o rei D. Luís I.

O museu apresenta ao público vários espaços que dão a conhecer a vida quotidiana da nobreza portuguesa entre os séculos XVII e XIX.

Para além do seu jardim de um hectare que data do século XVIII, um dos mais importantes da época barroca, o que mais me marcou na minha visita foi a beleza do palácio e das coleçõesque aí se encontram.

Museu-dos-Biscainhos-Braga
Museu-dos-Biscainhos-Braga

7. Arco da Porta Nova

Arco-da-Porta-Nova-Braga

O Arco da Porta Nova foi construído em 1512 (a versão atual remonta a 1772) para ligar a cidade medieval ao exterior das muralhas no seguimento da expansão de Braga.

Esta entrada da cidade medieval nunca teve porta pois nessa época as muralhas e o castelo já não desempenhavam as suas funções defensivas.

Ao passar pelo arco, não se esqueça de levantar a cabeça para admirar a fachada frontal e traseira onde se encontra uma estátua de Nossa Senhora da Nazaré e uma estátua que representa a cidade.

8. Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa

Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa Braga

Aberto ao público em 2007, este museu de arqueologia tem como objetivo dar a conhecer o resultado das pesquisas arqueológicas efetuadas em Braga e nos seus arredores.

Aqui encontrará uma coleção da época do Paleolítico, da Idade do Bronze e da Idade do Ferro bem como do império romano, império esse que deu origem a Braga, na altura Bracara Augusta.

Informação: entre o Arco da Porta Nova e o museu de arqueologia, pode fazer uma paragem no Largo Paulo Orósio para admirar a estátua do imperador Octavio César Augusto, fundador do império romano.

9. Capela da Nossa Senhora da Torre

Capela-Nossa-Senhora-da-Torre-Braga

Construída entre 1756 e 1759 como forma de agradecimento a Nossa Senhora por ter protegido Braga durante o grande sismo de 1755 que destruiu Lisboa, a capela situa-se na Torre de Santiago.

Para além de poder admirar a bela fachada da capela e a torre, saiba que também poderá descobrir o seu interior com cinco pisos e o Museu Pio XII que se situa no Largo de Santiago.

Informação: entre o museu de arqueologia e a Capela de Nossa Senhora da Torre, pode visitar as Termas Romanas que se encontram na Rua Dr. Rocha Peixoto.

10. Igreja de Santa Cruz

Igreja-de-Santa-Cruz-Braga

Edificada em estilo barroco e maneirista do século XVII, a Igreja de Santa Cruz foi reconstruída menos de 100 anos mais tarde pois corria o risco de desabar.

A fachada, que ainda permanece da “primeira versão” da igreja, foi restaurada em 2000 e é para mim a mais bela de todas as igrejas de Braga.

11. Igreja de São Marcos

Igreja-de-sao-Marcos-Braga

Inaugurada em 1836 e propriedade da Santa Casa da Misericórdia de Braga, uma instituição católica que ajuda os pobres e os doentes, a Igreja de São Marcos foi a que mais me surpreendeu!

Ao contrário da Igreja de Santa Cruz, esta igreja fascinou-me pelo seu interior graças ao seu estilo único, diferente dos interiores de todas as outras igrejas da cidade. Aquando da minha visita, tive a sensação de estar no Panteão Nacional, em Lisboa, mas em tamanho mais pequeno.

Igreja-de-Sao-Marcos-Braga

12. Palácio do Raio

Palacio-do-Raio-Braga

Construído em 1755 por um importante comerciante da cidade, este palácio começou a ser conhecido como o Palácio do Raio depois da sua venda em 1853 ao visconde Miguel José Raio.

Em 1882, os herdeiros do visconde venderam o palácio a um banco local que, posteriormente, o revendeu à Santa Casa da Misericórdia. Esta instituição instalou aqui alguns serviços do Hospital de São Marcos.

Desde 2015, o palácio conheceu uma nova vida com a instalação do Centro Interpretativo que dá a conhecer a história da instituição religiosa, do hospital de São Marcos, inaugurado em 1508 e encerrado em 2011, da arte sacra e poderá ainda admirar o magnífico interior – eu adorei!

Informação: na mesma rua (Rua do Raio), poderá visitar a Fonte do Ídolo, uma fonte de água romana esculpida por Celicus Fronto no século I.

Fonte-do-Idolo-Braga

13. Theatro Circo

Theatro-Circo-Braga

Considerado um dos mais belos teatros de Portugal e da Europa, o Theatro Circo é o sítio que não pode mesmo perder durante a sua visita a Braga.

A sua construção começou em 1911 e terminou em 1914, ficando o Theatro Circo com uma capacidade para 1500 lugares. Afirmou-se imediatamente como um dos maiores e mais bonitos teatros portugueses.

A primeiro espetáculo a ser realizado neste teatro ocorreu em 21 de abril de 1915 pela companhia Éden Teatro de Lisboa. Entre 1999 e 2006, o Theatro Circo passou por obras de restauro e de reestruturação profundas. A maior sala foi restaurada de acordo com a imagem original, o que a libertou de todas as alterações que sofreu ao longo dos anos.

A reabertura do teatro aconteceu em 27 de outubro de 2006 e é hoje uma referência no domínio das artes, não apenas por ter uma das salas mais carismáticas do país mas também porque a escolha da sua programação obedece a critérios de qualidade elevados e a um ecletismo único.

O Theatro Circo dá a possibilidade de descobrir os seus encantos se optar por fazer uma visita guiada, com a duração de uma hora e conduzida em português ou inglês, realizada à segunda-feira e ao sábado às 14:30 (o horário pode ser alterado em função da programação).

Para além de poder admirar a magnífica sala de espetáculos principal, com 897 lugares, terá também acesso aos bastidores (palco, área de ensaios, camarins, subpalco, etc.), sendo sempre acompanhado por um guia que lhe explicará como funciona o teatro.

Theatro-Circo-Braga

Esta visita deixou-me completamente rendido pela beleza deste sítio – é, sem dúvida alguma, a mais bonita sala de espetáculos que já vi em toda a minha vida! Para além disso, pude também descobrir os bastidores o que me permitiu compreender melhor o funcionamento dum teatro.

Ao sair do teatro e antes de visitar o lugar seguinte, não hesite em fazer uma paragem no Café A Brasileira, inaugurado em 1907 pelo mesmo proprietário que abriu o famoso Café A Brasileira em Lisboa e no Porto.

14. Casa dos Crivos

Construída entre os séculos XVII e XVIII, a Casa dos Crivos é a única casa em Braga a ter uma fachada coberta por gelosias, muito úteis para proteger o edifício do forte calor ao mesmo tempo que oferecem aos moradores a possibilidade de ver tudo o que se passa na rua sem serem vistos.

15. Sé de Braga

Com origens muito distantes (ano 400), a atual catedral de Braga data do século XI sendo, desta forma, a mais antiga catedral de Portugal.

Com o passar dos séculos, várias modificações foram levadas a cabo o que faz com que a catedral apresente hoje vários estilos arquitetónicos como o românico e o barroco.

Para além de poder visitar a catedral, terá também acesso a quatro capelas em que uma (a Capela dos Reis) acolhe os túmulos dos pais de D. Afonso Henriques, o primeiro rei de Portugal.

Também terá a oportunidade de passar pelo claustro do século XIX e pelo Tesouro-Museu criado em 1930 onde se encontra uma importante coleção de arte sacra.

A Sé de Braga é, sem dúvida alguma, outro monumento que não pode perder durante a sua visita à capital do Minho.

Informação: para visitar todas as maravilhas da catedral, terá de comprar o bilhete para os percursos 1, 2 e 3.

Ao sair da catedral, admire à sua esquerda a bela fachada da Igreja da Misericórdia de Braga, construída no século XVI e renovada em 1891.

Informação: durante o seu percurso entre a Casa dos Crivos e a catedral, passe pelo Largo São João do Souto para admirar a Capela dos Coimbras que data de 1525.

 16. Largo do Paço 

Para terminar a sua visita ao centro histórico de Braga, não perca a oportunidade de admirar o Largo do Paço, localizado na Rua do Souto.

Rodeado pelo Paço Arquiepiscopal, que serve hoje como reitoria da Universidade do Minho, o largo tem no seu centro o bonito Chafariz dos Castelos que data de 1723.

O que visitar fora do centro histórico de Braga

17. Miradouro do Picoto

Situado a menos de 3 km do centro histórico de Braga, este miradouro localiza-se no Monte do Picoto. Daqui, terá uma fantástica vista de 360º sobre a cidade e sobre os santuários do Bom Jesus do Monte e do Sameiro.

Informação: mesmo ao lado do miradouro encontrará o Picoto Park (Rua João Evangelista de Araújo Vieira) onde poderá fazer várias atividades como arborismo, escalada e paintball.

18. Santuário do Bom Jesus do Monte

Classificado em 2019 como Património da Humanidade pela UNESCO, o Santuário do Bom Jesus do Monte, também conhecido como Bom Jesus de Braga, é um local onde a arte e a natureza convivem em perfeita harmonia e que fazem deste sítio um espaço sagrado e de repouso.

A basílica começou a ser construída em 1784 para substituir um antigo templo que foi demolido devido ao fraco estado de conservação. Os trabalhos terminaram em 1811.

O escadório liga a parte alta da cidade ao santuário e divide-se em três secções: a parte barroca de 1723, onde se encontram capelas que mostram as várias fases da Via Sacra; a parte dos cinco sentidos com fontes e estátuas de personagens da Bíblia e a parte das três virtudes construída em 1837 também com capelas e fontes que representam a fé, a esperança e a caridade cristã.

Bom-Jesus-do-Monte-Braga

O funicular, também conhecido por elevador, liga igualmente a parte alta da cidade ao santuário e segue um caminho paralelo ao do escadório.

Inaugurado em 1882, este foi o primeiro funicular construído na Península Ibérica e é hoje o mais antigo no mundo em funcionamento a utilizar o sistema de contrapeso de água.

No Bom Jesus também poderá admirar os bonitos jardins, as grutas, as fontes, os miradouros e ainda navegar pelas águas do lago num barco a remos.

Curiosidade: se tenciona ir de carro até ao santuário, não deixe de passar pela “estrada mágica” onde poderá ver a sua viatura recuar sozinha, em ponto morto, numa rua que sobe. Eis um vídeo que prova este fenómeno!

Na verdade, os nossos olhos são enganados (ilusão de ótica) pela estrada que se encontra em baixo e que desce e pela paisagem em redor do sítio, pois, na realidade, esta “estrada mágica” desce em vez de subir.

Se quiser fazer o teste, veja as coordenadas no Google Maps.

Informação: o acesso de carro ao santuário é a pagar (cerca de 1 €).

Eis o mapa para aceder de carro ao santuário, ou subindo pelo escadório ou usando o funicular.

Em azul: trajeto de carro. A estrela marca o sítio a partir do qual é a pagar e o ponto B é um dos parques de estacionamento e uma das saídas. Em vermelho: trajeto a pé pelo escadório. Em preto: trajeto do funicular.

Para subir pelo escadório ou apanhar o funicular, estacione o seu carro aqui ou no Largo do Arco.

Se chegou a Braga de comboio, saiba que pode apanhar o autocarro nº 2 do centro histórico (Avenida Central) até ao funicular do Bom Jesus do Monte.

Localizado apenas a 5 km do centro histórico, o Bom Jesus do Monte é, sem dúvida, um pequeno paraíso em Braga e um dos sítios que não pode perder durante a sua visita!

19. Santuário do Sameiro

Sameiro Braga

O Santuário do Sameiro é um templo neoclássico que começou a ser construído em 1863 mas só no século XX é que as obras terminaram. O Papa Paulo VI elevou este sítio à categoria de basílica em 1964.

Em frente ao santuário encontrará uma grande escadaria e, no final da mesma, duas colunas com estátuas da imagem da Virgem Maria e do Sagrado Coração de Jesus. Em redor do santuário, poderá ver um local para celebrar a missa ao ar livre, um parque com árvores, jardins e uma capela.

Aquando da sua visita, para além de descobrir os jardins, aproveite para visitar o interior da basílica, a cripta e suba até ao cimo da igreja para desfrutar duma magnífica vista de 360º sobre Braga e os seus arredores. Em dias de céu limpo, pode mesmo vislumbrar o azul do Oceano Atlântico, localizado a cerca de 40 km de distância.

Sameiro Por do Sol

Para poder desfrutar desta vista magnífica, vá até às traseiras da basílica e suba as escadas que o levarão até ao cimo deste monumento (entrada a pagar).

20. Mosteiro de Tibães

Mosteiro de Tibaes

Antiga casa-mãe da congregação beneditina portuguesa, o Mosteiro de Tibães situa-se na localidade de Mire de Tibães, a 6 km de Braga.

Fundado no século XI (os edifícios atuais datam dos séculos XVII e XVIII), este foi durante muitos séculos um dos mosteiros mais ricos e mais influentes do Norte de Portugal.

Com a extinção das ordens religiosas em Portugal, entre 1833-1834, o mosteiro foi encerrado e os seus bens começaram a ser vendidos em leilões; a venda dos seus bens só terminou em 1864.

A partir dos anos 70 do século XX, o mosteiro passou por um período de ruína e abandono. Após a sua aquisição em 1986 pelo estado português, surgiu um projeto de restauro que permitiu salvar o mosteiro da ruína ao mesmo tempo que abriria as portas ao público.

Quando visitar este mosteiro, aproveite para admirar a bonita igreja, o claustro, as bonitas salas do mosteiro, o museu e descubra o grande jardim com fontes, uma capela e um lago.

Mosteiro de Tibaes

Para além de estar aberto ao público, o mosteiro tem um restaurante e um pequeno hotel (link afiliado) com nove quartos muito apreciado pelos hóspedes que aí ficam alojados (classificação 8,8/10).

  • Dias necessários para visitar Braga e os seus arredores: 2 dias

Roteiro para visitar os 20 sítios mais bonitos de Braga

Centro histórico:

Se chegar a Braga de carro, convido-o a estacionar no parque subterrâneo a pagar “Parque Avenida Central” e depois seguir para os locais pela ordem apresentada neste artigo.

Se chegar a Braga vindo de outra cidade de camioneta, a paragem é feita na estação rodoviária, situada a 700 metros do centro histórico (Basílica dos Congregados). Siga o roteiro pela ordem apresentada no artigo.

Vai chegar a Braga de comboio? Então comece a sua visita pelo Museu dos Biscainhos, depois, assim que chegar ao Theatro Circo, visite a Basílica dos Congregados, a Arcada da Lapa, a Igreja dos Terceiros, a torre de menagem, o Jardim de Santa Bárbara, a catedral, o Largo do Paço e termine na Casa dos Crivos.

Estes roteiros ser-lhe-ão úteis se contar visitar todos os sítios do centro histórico apresentados neste artigo. Se não tiver tempo ou não quiser ver todos, não hesite em criar o seu próprio roteiro no Google Maps.

Arredores de Braga

Para descobrir os arredores de Braga, aconselho-o a deslocar-se de carro pois é o meio de transporte que lhe dá mais liberdade e tempo para visitar cada sítio.

Se desejar utilizar os transportes públicos para visitar o Bom Jesus do Monte e o Santuário do Sameiro, pode apanhar o autocarro n° 88 no centro histórico, na Rua do Raio. Como já referi em cima, o autocarro n° 2 ser-lhe-á útil se quiser visitar apenas o Santuário do Bom Jesus do Monte.

Para visitar o Mosteiro de Tibães, terá de apanhar o autocarro n° 50 na paragem do Carmo, situada ao lado da estação rodoviária.

A outra possibilidade para descobrir as maravilhas de Braga e dos seus arredores será através duma visita guiada com saída do Porto.

Com saída do seu hotel no Porto, esta visita guiada levá-lo-á a descobrir as magníficas cidades de Guimarães e de Braga.

Depois de ter visitado o centro histórico de Guimarães, classificado como Património da Humanidade pela UNESCO, irá depois do almoço (incluído na visita guiada) descobrir os pontos de interesse de Braga, como a catedral, as ruas do centro histórico e, ao pôr-do-sol, o Santuário do Bom Jesus do Monte.

Para ter mais informações acerca destas visitas guiadas, não hesite em clicar nas opções em baixo.

Onde dormir

Hotel Mercure **** (link afiliado)

Completamente renovado em 2013, este alojamento de 4 estrelas oferece um ginásio e uma piscina exterior e recebe os seus hóspedes no centro da cidade, a 500 metros da Sé Catedral.

Os quartos estão equipados com ar-condicionado, televisão por cabo e ligação Wi-Fi gratuita. Para além disso, todos os quartos têm casa de banho com secador, banheira e artigos de higiene gratuitos.

Situado no primeiro piso, o restaurante deste hotel serve pratos regionais e tradicionais. Pode também tomar uma bebida no bar que se encontra no último piso, ao mesmo tempo que desfruta das vistas panorâmicas e vê, ao longe, os santuários do Bom Jesus do Monte e do Sameiro.

Hospedaria Convento de Tibães *** (link afiliado)

Situado no Mosteiro de Tibães, este hotel dispões de nove quartos com ar-condicionado, casa de banho, televisão por cabo e uma decoração moderna.

A maior vantagem deste hotel é o facto de lhe permitir passar a noite num local com séculos de história e, durante os seus passeios pelo mosteiro, poderá imaginar como seria a vida dos monges.

Ibis Budget Braga Centro ** (link afiliado)

Situado a cerca de 500 metros do centro histórico, este hotel dá a possibilidade de ficar alojado em Braga a um preço muito acessível e com todo o conforto necessário para passar uma noite agradável.

Terá à sua disposição quartos com ar-condicionado, com televisão e secretária bem como uma casa de banho privativa.

Onde comer

Cozinha da Sé

Uma das referências gastronómicas de Braga, o Restaurante Cozinha da Sé situa-se na zona histórica da cidade. O anfitrião Ricardo Pereira é conhecido por ser um “mestre na arte de bem servir e bem receber”. A cozinha é essencialmente tradicional, mas propõe também alguns pratos de gastronomia internacional e vinhos de várias regiões do país.

Anjo Verde

Este restaurante vegetariano propõe uma gastronomia que se inspira pela diversidade de sabores que a gastronomia vegetariana pode oferecer. O Restaurante Anjo Verde é um espaço para refeições mas também é um espaço cultural em que têm lugar algumas exposições e onde poderá apreciar música clássica uma vez por mês.

Gosto Superior

Localizado a cerca de 500 metros da Arcada da Lapa (centro histórico), o restaurante Gosto Superior foi a maior surpresa da minha visita a Braga! Aqui encontrará deliciosos pratos vegetarianos a preços imbatíveis (cerca de 8 € por pessoa).

Conselho: venha à hora de abertura para que não tenha de esperar por uma mesa livre!

Outros restaurantes a experimentar em Braga:

Alma d’Eça

Velhos Tempos

Colher d’Pau Taberna

Restaurante O Jacó

Casa de Pasto das Carvalheiras

Tradições e Festividades de Braga

Semana Santa – Páscoa

É o evento religioso que atrai mais visitantes à cidade. Na quarta-feira é a Procissão da Burrinha, na quinta-feira é a Procissão Ecce Homo e na sexta-feira é a Procissão do Enterro do Senhor. No sábado, é a véspera da Páscoa e, no Domingo de Páscoa, o “compasso” parte das igrejas, ao som dos sinos, em direção às casas dos habitantes cristãos que queiram celebrar a ressurreição de Jesus, beijando uma cruz ornamentada.

Festa de São João

É a maior festa da região e celebra o nascimento de São João Baptista. O culminar da festa é na noite de 23 para 24 de junho.

Braga Romana

Todos os anos, no fim de maio e início de junho (verificar datas aqui), Braga revive, durante alguns dias, a época em que fazia parte do Império Romano.

Poderá passear por um mercado romano onde vários artistas o farão sentir como se estivesse numa outra época. Poderá também admirar as peças de artesanato e assistir à chegada do Imperador Augusto a Braga.

Vai visitar Braga? Então não hesite em reservar o seu hotel, o seu carro ou as melhores atividades passando pelos links aqui em baixo. Vai-me permitir continuar a oferecer-lhe gratuitamente dicas e guias para visitar Portugal. Obrigado!

Também lhe vai interessar: