Top dos sítios a visitar em Braga, a capital do Minho

Braga encontra-se no norte de Portugal e foi fundada pelos romanos há mais de 2000 anos com o nome Bracara Augusta. É das mais antigas cidades portuguesas e uma das cidades cristãs mais antigas do mundo.

Considerada como a capital do Minho, Braga é a terceira maior cidade do país, depois de Lisboa e Porto, e foi Capital Europeia da Juventude em 2012.

A cidade de Braga é conhecida pelas suas igrejas e monumentosgastronomia, artesanato, tradições e festividades.

 Eis os sítios a visitar em Braga:

1. Jardim Santa Bárbara

Jardim_Santa_Bárbara_Braga
Jardim Santa Bárbara

É um jardim público da cidade, junto à ala Medieval do Paço Episcopal Bracarense. No centro há uma fonte do século XVII encimada pela estátua de Santa Bárbara, daí o nome do jardim.

2. Fonte do Ídolo

Fonte_do_Ídolo_braga
Fonte do Ídolo Fonte: companhiadeteatrodebraga.blogspot.pt

É uma fonte de água com inscrições e figuras esculpidas e foi construída nos inícios do século I. Perto da fonte encontraram-se vestígios arquitetónicos que indiciam que este santuário pode ter sido parte de um templo. É um dos locais da antiga cidade romana mais divulgados devido ao seu cariz único.

3. Termas romanas do Alto da Cividade

Top_dos_sitios_a_visitar_em_Braga
Termas romanas do Alto da Cividade

São as ruínas de umas termas públicas, construídas nos finais do século I, com um teatro anexo junto ao Fórum da antiga cidade romana.

4. Torre de menagem

top_dos_sitios_a_visitar_em_braga
Torre de menagem

Foi o que restou do Castelo de Braga, demolido em 1906. A torre encontra-se no centro da cidade e só está aberta ao público quando se realizam exposições.

5. Arco da Porta Nova

top_dos_sitios_a_visitar_em_braga
Arco da Porta Nova

A porta foi construída em 1512 para ligar o burgo medieval ao exterior das muralhas aquando da expansão da cidade. Foi a última porta a ser aberta nas muralhas da cidade. O arco foi construído em 1772.

6. Arcada da Lapa

Arcada da Lapa - Braga
Arcada da Lapa
Fonte : Flickr : Majorshots

Arcada da Lapa ou simplesmente A Arcada, situa-se no coração da cidade. Foi construída em 1715 para compor um pequeno edifício coberto onde os mercadores, que se dirigiam à cidade, negociavam os seus produtos.

Entre 1761 e 1764 foi construída no meio das arcadas a Igreja da Lapa, não podendo ter grandes dimensões já que a Arcada estava encostada às muralhas medievais do castelo.

7. Museu dos Biscaínhos

museu-dos-biscainhos
Museu dos biscainhos
Fonte: timetogo.com

Encontra-se instalado no Palácio dos Biscaínhos, construído no século XVI (período Barroco). O museu apresenta ao público uma sequência de espaços que proporcionam uma visão das ocupações, gostos e tradições dos nossos antepassados da nobreza dos séculos XVII e XVIII.

Podendo visitar-se o Átrio, o Salão Nobre, as Salas de Estrado, Oratório, Música, Jogo, a Sala de Jantar, as Cavalariças, as Cozinhas Antigas, e por último, os jardins do século XVIII que se desdobram num espetáculo de beleza artística e ambiental.

8. Theatro Circo

theatro_Circo_braga - Braga
Theatro Circo

A edificação começou em 1911 e terminou em 1914, ficando o Theatro Circo com capacidade para 1500 pessoas e afirmando-se de imediato como um dos maiores e mais belos teatros portugueses. A estreia foi a 21 de abril de 1915.

Em 1999, o Theatro Circo foi submetido a profundas obras de restauro e reestruturação espacial que o modernizou. A requalificação incluiu ainda a reposição da traça original do Salão Nobre, libertado agora das alterações que foi sofrendo ao longo dos anos.

A reabertura do Theatro Circo aconteceu no 27 de Outubro de 2006 e é hoje uma referência no meio artístico, não apenas por possuir uma das mais carismáticas salas de espetáculos do país mas porque a escolha da sua programação obedece a critérios de qualidade e ecletismo.

9. GNRATION

Gnration_braga
Gnration

O espaço que em tempos era ocupado pela Guarda Nacional Republicana, é agora o espaço mais criativo da cidade. O GNRATION foi idealizado para a Capital Europeia da Juventude, onde se deveria ter estabelecido, mas ficou pronto apenas em 2013, sendo assim a herança que Braga 2012 deixou à cidade.

Deste espaço destacamos os pátios e a praça que são lugares por excelência de encontro com os jardins verticais. Nos três espaços exteriores poderão decorrer espetáculos de dança, teatro, ilusionismo, projetos audiovisuais, debates, performances, mas também tertúlias e lançamentos editoriais.

Os pátios e a praça exterior têm desenhados no seu piso várias constelações, daí os seus nomes serem Pátio Cão Maior, Pátio do Caçador e Praça da Ursa.

10. Complexo das Sete Fontes

Complexo_das_7_Fontes_Braga
Complexo das 7 Fontes

É um sistema de engenharia hidráulica construído no século XVIII, destinado a promover a captação, condução e abastecimento de água a Braga. Até à entrada do sistema de captação do rio Cávado em 1914, o complexo era a principal fonte de abastecimento à cidade.

Encontra-se ainda hoje em pleno funcionamento e as suas minas garantem água a fontanários, a casas onde ela chega numa forma de antigo Direito chamada “penas de água” (medida do diâmetro da torneira) e a uma bica onde as pessoas podem abastecer.

O complexo é composto por um grupo de minas de água e estruturas edificadas que se estendem por cerca de 3500 metros, segmentadas em 14 galerias subterrâneas e 6 pontos de junção conhecidas como “Mães de Água” (expressão da arquitetura barroca).

A sétima mãe de água e parte do canal foram destruídos em 1995 para serem construídos blocos habitacionais.

Apesar de ter sido classificado como monumento nacional em maio de 2011, é evidente a ausência de preservação. Eventualmente poderá vir a ser um dos principais espaços verdes e zona de lazer da cidade.

11. Sé de Braga

Sé_de_Braga
Sé de Braga

“Mais velho que a Sé de Braga” é uma expressão popular que é usada quando se pretende definir a antiguidade de algo, o que corrobora o quão antiga é a Sé. Segundo a tradição, a diocese bracarense terá sido criada no século III mas a História só a confirma a partir do ano de 400.

O atual edifício foi erigido sobre uma outra construção religiosa que, possivelmente, foi a anterior catedral.

A catedral apresenta duas torres na fachada, o que a aproxima das grandes catedrais do românico português, mas foi, com o decorrer dos séculos, muito modificada. No coro alto, o cadeiral e os órgãos de talha dourada são obras excecionais de conceção e execução.

O claustro, dos inícios do século XIX, está no lugar de um outro, gótico, que ameaçava ruína em finais do século anterior.

Aqui estabelece-se uma ligação com o Tesouro da Sé e com a Capela de Nossa Senhora da Piedade e a Capela de D. Lourenço Vicente, também conhecida por Capela dos Reis, pois aí encontram-se os túmulos dos pais de D. Afonso Henriques.

Outras duas capelas, de implantação autónoma, fazem ainda parte do conjunto monumental: a Capela de São Geraldo e a Capela da Glória.

Ao lado da Catedral, com acesso a partir do claustro, encontra-se o Tesouro da Sé, criado em 1930, o qual recolhe múltiplas peças reunidas ao longo dos tempos.

O Pelourinho de Braga (o que resta da sua estrutura), encontra-se atualmente exposto num pátio da Sé.

12. Mosteiro de Tibães

Mosteiro_de_Tibães
Mosteiro de Tibães

Antiga Casa-Mãe da Congregação Beneditina Portuguesa, situa-se na freguesia de Mire de Tibães, a 6 km a noroeste de Braga. Fundado em finais do século X, foi reconstruído no último terço do século XI, transformando-se num dos mais ricos e poderosos mosteiros do norte de Portugal.

Com a extinção das ordens religiosas em Portugal, em 1833-1834, foi encerrado e os seus bens, móveis e imóveis, começados a vender em hasta pública, processo que só terminou em 1864 com a compra do próprio edifício conventual.

A partir dos anos 70, o mosteiro assiste à delapidação dos seus bens, à ruína e ao abandono.

Depois de ter sido adquirido pelo Estado Português em 1986, iniciou-se um projeto de recuperação, o que permitiu, através das obras de salvação prioritárias e de intervenções provisórias no edifício e na cerca, oferecê-lo à fruição pública, dinamizá-lo culturalmente e conceber o seu reúso.

13. Santuário do Bom Jesus do Monte

Santuario_do_Bom_Jesus - Braga
Santuário do Bom Jesus

Também conhecido como o Santuário do Bom Jesus de Braga, é o ex-líbris da cidade, onde a arte e a natureza se aliam fazendo dele um espaço sagrado e de repouso.

A atual igreja é um exemplar do neoclássico português. A sua construção começou em 1784 para substituir o antigo templo que foi demolido uma vez que ameaçava ruína. As obras foram concluídas em 1811.

Os escadórios ligam a parte alta da cidade ao santuário. Estão divididos em 3 lanços: o Pórtico barroco de 1723 que conduz às capelas que apresentam os 14 passos da Via Sacra e às fontes contíguas; o Escadório dos Cinco Sentidos e o Escadório das Três Virtudes Teologais, construído em 1837.

O  funicular ou elevador também liga a parte alta da cidade ao santuário e segue um percurso paralelo ao dos escadórios. Inaugurado em 1882, foi o primeiro funicular construído na Península Ibérica e hoje em dia é o mais antigo do mundo, em funcionamento, a utilizar o sistema de contrapeso de água.

A frondosa mata, começada a plantar em meados do século XIX, cavou um fosso profundo e transformou o Bom Jesus num espaço de descanso e passeio com a diversidade e raridade das suas espécies de árvores, a vegetação, os jardins, as grutas, as fontes, os mirantes, os lagos com barcos de remos, etc.

A título de curiosidade, a expressão popular “ver Braga por um canudo” que significa não alcançar o que se deseja, vem do telescópio existente num dos miradouros através do qual se pode contemplar à distância a cidade rodeada por um esplendor bucólico.

14. Santuário de Nossa Senhora do Sameiro

Santuario_do_Sameiro
Santuário do Sameiro

Mais conhecido por Santuário do Sameiro, é um monumental santuário neoclássico que começou a ser construído em 1863 e só foi concluído no século XX. Foi elevado a basílica pelo Papa Paulo VI em 1964.

A famosa imagem de Nossa Senhora do Sameiro encontra-se no altar principal da basílica.

Em frente ao santuário encontra-se um imponente escadório e, no seu topo, dois altos pilares encimados com as imagens da Virgem Maria e do Sagrado Coração de Jesus.

Ao redor existe um recinto para missa campal, um parque arborizado, jardins, um cruzeiro, algumas fontes e uma capela.

  •     Dias necessários para visitar Braga e os seus arredores: 2 dias
Onde ComerOnde DormirOnde SairTradições e FestividadesInformações Úteis

Sugestões para comer

Cozinha da Sé

Uma das referências gastronómicas de Braga, situa-se na zona histórica da cidade. O anfitrião chama-se Ricardo Pereira, que se diz “mestre na arte de bem servir e receber”. A cozinha é sobretudo tradicional, embora com alguma oferta de pratos de gastronomia internacional. Vinhos das várias regiões demarcadas do país.

Informações

Preço médio: 17-25 €

Horário: 12h-15h | 19h-23h. Encerra à Segunda feira

Localização: Rua D. Frei Caetano Brandão, 4700 – 031 Braga

Anjo Verde

Este restaurante vegetariano surge com uma proposta gastronómica inspirada na diversidade de sabores que a gastronomia vegetariana oferece.

Para além de um espaço de alimentação, o Anjo Verde é também um espaço cultural onde ocorrem pontualmente exposições e onde se pode ouvir música clássica uma vez por mês.

Informações

Preço médio: 7 €
Horário: 12h – 15h | 19h30 – 22h30. Encerra ao Domingo
Localização: Largo da Praça Velha, 21, 4700-439 Braga

Sugestões para dormir

Braga POP Hostel (link afiliado)

O Braga POP Hostel é um espaço de cultura, arte e lazer, localizado no coração da cidade mais jovem de Portugal. Acreditamos que viajar é saborear, aprender e partilhar e, com isso, chegar a casa mais rico.

Foi o primeiro hostel da cidade de Braga e localiza-se no coração da cidade, a 5 minutos a pé da Estação de Comboios e da Central de Autocarros, junto à maior zona pedonal urbana da Europa, onde se localiza o centro histórico, as zonas comerciais e zonas de lazer com bares e restaurantes.

Informações

Preço médio: 17/18 €
Serviços: Internet gratuita, estacionamento gratuito
Check-in: 14:00 – 20:00
Check-out: 08:30 – 12:00
Localização: Rua do Carmo, 61 – 3º, 4700-309 Braga

Hotel Mercure **** (link afiliado)

Este hotel de 4 estrelas foi totalmente remodelado em 2013 e alberga um centro de fitness e uma piscina exterior. O Hotel Mercure Braga Centro está localizado no centro da cidade de Braga, a 500 metros da Sé Catedral e da área comercial.

No 1º andar existe um restaurante que serve pratos regionais e tradicionais, juntamente com uma extensa lista de vinhos. Poderá também saborear uma bebida no bar no último andar com vistas panorâmicas para o Bom Jesus e Sameiro.

Informações

Preço médio: 50 €/noite, quarto duplo ou twin
Serviços: Internet gratuita
Check-in: A partir das 14:00
Check-out: Até às 12:00
Localização: Praceta João XXI, 4715-036 BRAGA

Informações

Sugestões para sair

Café Vianna

É um dos mais antigos e emblemáticos cafés da cidade. Foi fundado em 1871 e situa-se no edifício da Arcada. Por lá já se sentaram escritores como Eça de Queirós ou Camilo Castelo Branco, sendo o nome deste café mencionado até em algumas obras literárias.
Este espaço não é só procurado para tomar café mas também para almoçar, com uma boa variedade de pratos rápidos e outros mais elaborados.

Informações

Horário: segunda a sábado e vésperas de feriado: 08h – 02h | domingo: 09h – 24h
Localização: Praça da República, 4710-305 Braga

Café A Brasileira

É um dos cafés mais antigos e emblemáticos da cidade, fundado em 1907. Serve de ponto de encontro e convívio de muitos  bracarenses.

Informações

Horário: domingo a quinta: 08h – 00h | sexta e sábado: 08h – 02h
Localização: Largo do Barão de São Martinho, 17, 4700 Braga

Semana Santa – Páscoa: é o evento religioso que mais turistas atrai à cidade. Na quarta-feira é a procissão da burrinha, na quinta-feira a procissão do Ecce Homo e na sexta-feira a procissão do enterro do Senhor.

No sábado de Aleluia à noite acontece a vigília pascal e no domingo de Páscoa acontece a visita pascal que parte das igrejas paroquiais, ao som de campainhas, para os lares dos cristãos que queiram receber o anúncio da Ressurreição de Jesus beijando uma cruz enfeitada.

Festa de São João: é a maior festa do concelho, a qual celebra o nascimento de São João Baptista. O culminar da festa é na noite de 23 para 24 de Junho.

Gastronomia: entre as iguarias bracarenses temos o bacalhau à moda de Braga, as papas de sarrabulho e os rojões à moda do Minho, o arroz de pato à moda de Braga, o arroz de frango “pica no chão”, as “frigideiras” e o pudim de Abade de Priscos.

Artesanato: as violas e os cavaquinhos são o artesanato que mais caracteriza a cidade. Também há os artigos em linho, os bordados, os trabalhos em ferro forjado, os farricocos, as miniaturas em madeira e a louça típica de Braga.

Espaço Internet

Acesso gratuito à Internet Wifi em todas as ruas do centro histórico de Braga e na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva

Horários: segunda a sábado das 9h às 18h

Localização:  Rua de São Paulo 1, Braga

Posto de Turismo

Horários: segunda à sexta das 9h às 19h. sábado e domingo das 9h às 12h30 e das 14h às 17h30

Localização:  Praça da República, Braga

Vai visitar Braga? Não hesite em reservar o seu hotel ou o seu carro passando pelos links aqui em baixo. Vai-me permitir continuar a oferecer-lhe gratuitamente dicas e guias para visitar Portugal. Obrigado!

Reserve aqui o seu Hotel  Reserve aqui o seu carro


Também lhe vai interessar:

  • o que visitar em braga
  • visitar braga
  • braga o que visitar
  • locais a visitar em braga
  • sitios para visitar em braga

Sobre Tiago

Tiago 30 anos de idade, parisiense desde os 12 anos, decidi partir para a aventura e realizar o meu sonho : conhecer o nosso país de uma ponta à outra. Acho que se não conhecemos as nossas origens não nos podemos conhecer realmente. Leia mais aqui